Evangélicos impedem homem de destruir imagens de igreja católica, na Paraíba

No momento do ataque a igreja católica estava vazia, mas evangélicos que participavam de um culto a poucos metros do local decidiram intervir na invasão.

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2016 as 10:32

O suspeito usou uma moto para arrombar a igreja de Santa Maria Madalena, que fica no bairro Jardim Queiroz. (Foto: Reprodução/TV Globo)
O suspeito usou uma moto para arrombar a igreja de Santa Maria Madalena, que fica no bairro Jardim Queiroz. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Um homem invadiu uma igreja católica para quebrar imagens de Jesus Cristo e Maria Madalena na cidade de Patos, no Sertão Paraibano. O ataque foi impedido por um grupo de evangélicos, que estava próximo ao local da invasão.

Na última terça-feira (28), por volta das 20h, o suspeito usou uma moto para arrombar a igreja de Santa Maria Madalena, que fica no bairro Jardim Queiroz. Dentro do local, ele tentou abrir outras portas com socos e pontapés. Segundo testemunhas, o objetivo dele era quebrar as duas imagens.

No momento do ataque a igreja estava vazia, mas os fiéis que participavam de um culto evangélico estavam a poucos metros do local. “Estamos aqui para trabalhar para a comunidade, independe de ser evangélica ou não. Estamos aqui para respeitá-los e para conviver”, disse o pastor Jonas Batista.

Os fiéis da igreja católica destacaram a atitude nobre dos evangélicos. “Graças a Deus houve essa solidariedade dos nossos irmãos evangélicos, que estavam no culto deles, viram o fato e vieram correndo ajudar. Caso contrário, ele teria entrado e danificado”, disse o secretário do templo católico, Joseildo Lopes.

Parentes do suspeito afirmaram que o homem é deficiente mental,  e testemunhas disseram que ele já tentou fazer isso outras vezes, em outras igrejas.

De acordo com a professora Jussara Sousa, essa não foi a primeira vez que homem invadiu igrejas na cidade. “Muitas igrejas já foram visitadas por ele. É revoltante”, disse ela.

Apesar da preocupação, os católicos disseram não ter mágoa do homem. “Eu não sei por que ele faz essas coisas. A gente só tem que rezar e pedir a Deus que ele melhore. A gente não pode condenar ninguém por um ato desse, pois uma pessoa normal não vai fazer isso”, disse o representante comercial, Geraldo de Moraes.

veja também