'Fábrica de tecidos' do rei Salomão é descoberta em Israel

Alguns pequenos retalhos de tecidos também foram descobertos por arqueólogos da Universidade de Tel Aviv, durante escavações das minas de cobre de Timna, no sudoeste de Arabá.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 26 Fevereiro de 2016 as 9:28

Arqueólogos israelenses anunciaram recentemente a descoberta de raros tecidos que datam dos tempos bíblicos dos reis Davi e Salomão.

Alguns pequenos retalhos de tecidos também foram descobertos por arqueólogos da Universidade de Tel Aviv, durante escavações das minas de cobre de Timna, no sudoeste de Arabá.

Em um comunicado divulgado para a imprensa, na última quarta-feira (24), Dr. Erez Ben-Yosef - que supervisionou a escavação - disse que a descoberta lança luz sobre antigo comércio de artigos têxteis de 3.000 anos e sobre as roupas e tecidos que eram usados naqueles tempos.

"A maioria dos fragmentos [de tecido] eram pequenos, alguns com apenas 5 por 5 centímetros, mas uutros eram maiores", disse Yosef Haaretz nesta semana.

"Timna é um local único, praticamente inigualável em Israel ou em qualquer outro lugar no Levante", acrescentou. "A aridez extrema em Timna preserva restos orgânicos que não poderiam ter sido preservados em qualquer outro lugar, como no Megiddo Lachish ou Hatzor, e nem mesmo em qualquer outro lugar no vale de Arava".

Junto com diferentes formas e tamanhos, os arqueólogos também descobriram uma ampla gama de cores de tecidos, incluindo verde, vermelho e dourado.

"Descobrimos tecidos simples e elaborados, usados e decorados ​​pelo escalão superior da sua sociedade estratificada. Tecidos de Luxo adornavam os altamente qualificados, artesãos altamente respeitados que manuseavam os fornos de cobre. Eles foram responsáveis ​​pela fundição do cobre, que foi um processo muito complicado", informou Yosef.

A universidade acrescentou em um comunicado que as condições meteorológicas raras do Vale de Timna têm permitido que tais tesouros arqueológicos permaneçam bem preservados.

"A condição árida das minas tem visto a notável preservação de materiais orgânicos de 3.000 anos de idade, incluindo sementes, couro tecidos e outros artefatos extremamente raros que oferecem uma janela única para a cultura e as práticas deste período", informou a Universidade de Tel Aviv.

"Os tecidos também oferecem insights sobre a sociedade complexa dos primeiros edomitas, os povos semi-nômades que, possivelmente teriam operado as minas de Timna", acrescentou.

Os fragmentos encontrados pelos arqueólogos têm tamanhos diversos, a partir de cerca de cinco centímetros (Foto: Daily Mail)

Vanessa Workman, também da equipe de escavação, disse ao 'Sci-News' que, juntamente com os materiais produzidos na época, os arqueólogos descobriram linho, que provavelmente teria vindo do norte de Israel.

"Descobrimos linho, que não foi produzido no local. É mais provável que tenha vindo do Vale do Jordão ou do Norte de Israel", disse Workman ao veículo de comunicação.

O material complexo dos tecidos ajuda a nos contar "como devem ter se desenvolvido, tanto o seu artesanato têxtil, quanto o comércio sofisticado", acrescentou Workman.

Os arqueólogos encontraram antiguidades de valor inestimável no vale de Timna desde que começaram a escavação em 2013, quando confirmaram ter descoberto o local de minas de cobre do rei Salomão.

Junto com os retalhos de tecidos, as escavações também descobriram metais, cerâmica e alimentos, incluindo datas e uvas no local da escavação, segundo relatos do 'Telegraph'.

Yosef disse ao 'Telegraph' que em 2013, enquanto se acreditava inicialmente que as minas do Vale de Timna tivessem sido construídas pelos antigos egípcios. Acredita-se agora que elas foram utilizadas três séculos mais tarde durante a era do Rei Salomão.

"É inteiramente possível que David e Salomão tenham existido e mesmo que eles tenham exercido algum controle sobre as minas do vale de Timna, em alguns momentos", disse Yosef.

veja também