A farsa do 'Evangelho de Barnabé': texto diz que Judas morreu no lugar de Jesus

O documento que afirma que Judas Iscariotes foi crucificado no lugar de Jesus e que Cristo predisse a vinda do profeta Maomé, é trabalho de um "falsificador", segundo indica o patriarca da igreja copta Tawadros II.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 26 Junho de 2015 as 8:22

Autoridades turcas descobriram o texto em maio de 2012, no em um prédio da Justiça de Ancara.
Autoridades turcas descobriram o texto em maio de 2012, no em um prédio da Justiça de Ancara.

 

O antigo "Evangelho de Barnabé" voltou a ser questionado na imprensa internacional por um líder religioso.

O documento que afirma que Judas Iscariotes foi crucificado no lugar de Jesus e que Cristo predisse a vinda do profeta Maomé, é trabalho de um "falsificador", segundo indica o patriarca da igreja copta Tawadros II.

Tawadros assegura que o texto "é cheio de erros históricos e geográficos, o trabalho de um falsificador", segundo informou a Agência de Notícias Fides nesta sexta-feira (26).

Autoridades turcas descobriram o texto em maio de 2012, no em um prédio da Justiça de Ancara, capital do país. O livro, escrito há entre 1.500 e 2.000 anos atrás, tem autoria de Barnabé, um discípulo que se converteu ao cristianismo após o Pentecostes.

O "Evangelho de Barnabé", nome no qual o texto foi apelidado, tomou as manchetes internacionais em 2012, com algumas vozes islâmicas prevendo que o documento iria resultar no "colapso do cristianismo."

O documento também faz outras acusações que contradizem o cristianismo, como a afirmação de que Jesus subiu ao céu como um profeta vivo, e não como o Filho de Deus.

No entanto, estudiosos cristãos têm rejeitado o texto, argumentando que é uma falsificação.

"Se o documento foi escrito entre o quinto e o sexto século, não poderia ter sido escrito por alguém que estava viajando com Paulo cerca de 400 anos antes", disse o editor da revista Catholic World News em 2012.

veja também