França e Rússia fortalecem laços na luta contra o Estado Islâmico

Desde os ataques em Paris, Hollande está em uma movimentação diplomática visando fortalecer a cooperação na campanha contra o Estado Islâmico.

fonte: Guiame, com informações da Associated Press

Atualizado: Sexta-feira, 27 Novembro de 2015 as 11:17

O presidente da França, François Hollande viajou para Moscou na última quinta-feira (27) para se reunir com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Os líderes concordam em fortalecer a cooperação na campanha contra o grupo Estado Islâmico, mas discordaram sobre a maneira como devem se relacionar com o presidente da Síria, Bashar Al-Assad.

Desde os ataques em Paris, Hollande está em uma movimentação diplomática visando fortalecer a cooperação na campanha contra o Estado Islâmico. Só nessa semana, ele se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel e o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi.

O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelos ataques terroristas em Paris, que deixaram 130 mortos, e também pela explosão de um avião russo no Egito, que deixou 224 mortos.
Hollande e Putin concordaram em aumentar o compartilhamento de Inteligência, intensificar os ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria e cooperar na seleção de alvos, dois dias depois da Turquia ter abatido um jato russo perto da fronteira com a Síria.

"Nós concordamos em uma questão muito importante: Atingir apenas os terroristas, o Estado Islâmico e os grupos jihadistas apenas e não atirar em grupos e forças que estão lutando contra os terroristas", disse Hollande em uma coletiva de imprensa após a reunião. "Nós também vamos trocar informações sobre isso: o que pode e o que não pode ser atingido", declarou.

Apesar do acordo, os dois países permanecem com uma visão diferente sobre a maneira de lidar com Assad. Hollande afirmou que o líder sírio "não tem lugar no futuro da Síria". Já Putin declarou que "o destino do presidente da Síria deve ficar totalmente nas mãos do povo sírio".

Putin descreveu Assad e seu exército como um "aliado natural" na luta contra o Estado Islâmico, uma força essencial capaz de lutar em terra contra o grupo. Ele acrescentou que a Rússia está pronta para cooperar com outros grupos que lutam contra o Estado Islâmico.

Confira o vídeo da coletiva de imprensa

veja também