Garota cristã é espancada, após usar o banheiro exclusivo para muçulmanas em sua escola

Estudante da 3ª série do primário, Sara Bibi foi excluída da escola pública para meninas em Samundari, Punjab (Paquistão) e sua família agora vive na clandestinidade, por medo de retaliações.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 18 Novembro de 2015 as 4:27

Manifestante paquistanês segura cartaz com as frases: "Viver como cristão! Morrer como cristão! Orgulho de ser cristão!". (Foto: Reuters)
Manifestante paquistanês segura cartaz com as frases: "Viver como cristão! Morrer como cristão! Orgulho de ser cristão!". (Foto: Reuters)

Uma menina cristã de 8 anos de idade, foi supostamente repreendida, espancada e trancada em um banheiro de sua escola por sua professora, depois de ter usado um banheiro designado para os muçulmanos, de acordo com o jornal 'Pakistan Today'.

Estudante da 3ª série do primário, Sara Bibi foi excluída da escola pública para meninas em Samundari, Punjab e sua família agora vive na clandestinidade, por medo de retaliações.

Os relatórios sugerem que Sara foi acusada por seus colegas de ter usado seus banheiros (nos quais ela não teria acesso permitido). A diretora da escola, Zahida Rana, bloqueou a entrada de Sara no banheiro e gritou com a garota, supostamente dizendo: "Você é uma cristã, uma infiel! Como você ousa usar o mesmo toalete das garotas muçulmanas?".

Sara foi mantida no banheiro, durante três horas, até o final do horário das aulas.

O senador Sherry Rehman destacou o incidente durante uma sessão no Senado do Paquistão, que se concluiu com o presidente do Senado, Raza Rabbani ordenando um inquérito sobre o incidente.

O líder da Câmara, Raja Zafarul Muhammad disse que tinha recebido um relatório inicial sobre o caso, mas que este não suficientemente esclarecedor.

A família da garota passou a se esconder depois de receber várias ameaças de que eles seriam acusados ​​de blasfêmia.

A Associação Cristã britânico-paquistanesa (BPCA) está atualmente apoiando a família e aguarda a resposta da escola e do governo sobre o ataque, antes potencialmente buscando a justiça pelos caminhos legais.

"Muitas vezes nos perguntam por que grande parte dos cristãos são analfabetos [no Paquistão], com apenas 7% atingindo um nível adequado de alfabetização. Aqui você tem um excelente exemplo do assédio moral e violência que jovens cristãos enfrentam diariamente", disse Wilson Chowdhry, presidente da BPCA. "Ao invés de ser uma exceção, este incidente é sintomático da situação mais ampla. Esse ódio é de cima para baixo e em toda a estabelecimentos de ensino e deixa cristãos desmoralizados e subjugados".

"Esta situação alarmante é agravada com um quadro que se repete anualmente, no qual cerca de 700 jovens cristãs são seqüestradas, estupradas e obrigadas a se casarem sob a fé islâmica. A maioria destas são seqüestrados depois das aulas", relatou.

"Os materiais curriculares nacionais promovem o ódio contra as minorias, por caricaturar e demonizá-las. Sob tal hostilidade que chance existe para as minorias de educarem a próxima geração?", ele perguntou.

A BPCA tem divulgado uma petição online em busca de formação livre e justa para todos.

veja também