Garoto de 9 anos sobrevive a um tiro no coração e mãe afirma: "Pedi a Deus um milagre"

O pequeno Kauan havia sido baleado na porta de casa, em Montes Claros (MG). Sua mãe chegou a pensar que ia perder seu filho, mas pediu ajuda a Deus.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Domingo, 21 Agosto de 2016 as 9:30

Naiara Viviane Ribeiro afirma que é um milagre o filho ter sobrevivido. (Imagem: G1)
Naiara Viviane Ribeiro afirma que é um milagre o filho ter sobrevivido. (Imagem: G1)

Após o pequeno Kauan Rafael, de 9 anos, ter sido baleado no coração sua mãe viu no poder de Deus a única solução para que o garoto sobrevivesse. O menino que foi baleado há mais de uma semana, em Montes Claros (MG), passou uma cirurgia de alto risco e recebeu alta na última sexta-feira (19).

“No começo achei que ia perder meu filho. Peguei com Deus, que era a única força que eu tinha, e pedi um milagre. Deu tudo certo!”, disse Naiara Viviane Ribeiro, mãe da criança.

Kauan foi baleado na porta de casa, quando dois homens chegaram de bicicleta e começaram a atirar.

Até mesmo o médico que atendeu o garoto reconhece que o pequeno Kauan viveu uma experiência muito forte e fora do comum, tendo esse livramento.

O pediatra Renato Neves afirmou que em sete anos de carreira nunca tinha visto nenhum paciente sobreviver a um ferimento tão grave como esse e quando o caso é com uma criança, a situação fica ainda mais complicada.

“Os pais o levaram rapidamente ao hospital e no momento da cirurgia ele teve uma grande sorte porque surgiu uma vaga no CTI de adulto, onde recebeu o suporte adequado”, contou.

A mãe de Kauan assegurou que o livramento fo filho e a boa recuperação do garoto ganhou um forte significado para toda a família, renovando sua fé.

“Nós somos em quatro, eu, meus dois filhos e meu marido, é renascimento de todos nós. A nossa fé foi renovada”, afirmou.


Entenda o caso
O garoto foi baleado na madrugada da última sexta-feira (12), enquanto jogava 'Pokémon Go' no celular do pai, na porta de casa, no Bairro Clarice Athayde. O pai, que também foi atingido no ombro, levou o filho rapidamente para o hospital com a ajuda de sua esposa.

“Ele me pediu o celular e sentou na porta, onde havia mais pessoas. Eu e minha esposa estávamos assistindo televisão e saímos porque parecia que estava ocorrendo uma briga. Quando ouvi os tiros, peguei meu filho no colo para entrar e vi que ele tinha sido baleado. Entreguei ele nos braços da minha mulher, tirei o carro da garagem e corri para o hospital, ela que percebeu que eu tinha tomado um tiro. Não senti dor, só pensava em socorrer meu filho”, relatou José Francisco Soares Neto, pai da criança.

A Polícia Militar informou que naquela madrugada, o alvo dos atiradores era um adolescente de 15 anos, que não foi atingido.

veja também