Governo de Israel irá compensar igreja incendiada por judeus extremistas

Muitos cristãos acreditam que, nesse local, Jesus alimentou 5 mil pessoas ao multiplicar cinco pães e dois peixes.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 25 Setembro de 2015 as 11:38

) incêndio consumiu maior parte do interior da Igreja da Multiplicação. (Foto: CNN)
) incêndio consumiu maior parte do interior da Igreja da Multiplicação. (Foto: CNN)

 

Israel irá pagar os danos causados por judeus extremistas que incendiaram uma igreja localizada em Tabgha, às margens do Mar da Galiléia. Muitos cristãos acreditam que, nesse local, Jesus alimentou 5 mil pessoas ao multiplicar cinco pães e dois peixes.
 
O Ministério da Justiça anunciou que "a igreja deve ser compensada pelos danos causados ​​pelo incêndio, de acordo com os impostos de regulamento da propriedade".
 
Dois extremistas judeus foram acusados de cometer o crime. Inicialmente, as autoridades fiscais se recusaram a compensar a igreja, afirmando que não estava claro se o ataque foi causado "por razões nacionalistas".
 
No entanto, o procurador-geral Yehuda Weinstein disse que, com base nas acusações contra os dois suspeitos, o ataque realmente estava relacionado com o "conflito árabe-israelense". Então foi tomada a decisão de ressarcir os prejuízos da igreja.
 
O ataque
 
O incêndio destruiu completamente um dos edifícios do complexo, mas a própria igreja não foi danificada. Pichações em hebraico foram escritas em uma das paredes, onde se lia: "Ídolos serão destruídos".
 
Oficiais da igreja pediram cerca de sete milhões de shekels (o equivalente a 1,2 milhões de dólares), segundo a AFP.
 
Três extremistas judeus foram acusados: Yinon Reuveni e Yehuda Asraf tiveram conexão com o incêndio e a pichação. Moshe Orbac foi acusado de redigir e distribuir um documento induzindo o povo judeu a atacar a igreja.

veja também