Governo russo confirma que bomba derrubou avião com 224 a bordo

A confirmação pelas autoridades russas de que o incidente realmente foi um atentado ocorreu quatro dias depois dos ataques reivindicados pelo Estado Islâmico que mataram 129 pessoas em Paris.

fonte: Guiame, com informações de Folha de São Paulo

Atualizado: Terça-feira, 17 Novembro de 2015 as 10:37

O avião caiu na península do Sinai 23 minutos após a decolagem. Não houve sobreviventes. (Foto: EPA)
O avião caiu na península do Sinai 23 minutos após a decolagem. Não houve sobreviventes. (Foto: EPA)

O governo da Rússia confirmou nesta terça-feira (17) que uma bomba derrubou o avião da empresa russa Metrojet no Egito, que estava com 224 pessoas a bordo no dia 31 de outubro.

As investigações detectaram traços de explosivos como a causa da queda. O avião caiu na península do Sinai 23 minutos após a decolagem. Não houve sobreviventes.

Segundo o chefe do serviço de segurança, Aleksandr Bortnikov, a bomba tinha 1 kg de TNT. "Podemos dizer que, definitivamente, foi um ato terrorista", declarou.

O presidente russo Vladmir Putin ordenou uma investigação imediata sobre os autores do atentado, informou o governo.

No dia da queda do avião, um grupo extremista islâmico do Egito, apontado como extensão da facção radical Estado Islâmico no país, reivindicou a autoria.

A confirmação pelas autoridades russas de que o incidente realmente foi um atentado ocorreu quatro dias depois dos ataques reivindicados pelo Estado Islâmico que mataram 129 pessoas em Paris.

O episódio do avião russo deve aumentar a ação das potências ocidentais e da Rússia no combate ao EI, que ocupa territórios na Síria e no Iraque.

veja também