Hackers do Estado Islâmico invadem site de igreja e ameaçam o Vaticano

"Nós não negociamos se não com o canhão, não temos diálogos se não com as armas, não vamos conversar se não usando força", afirma o grupo extremista no texto ameaçador.

fonte: Guiame, com informações de Express

Atualizado: Sexta-feira, 4 Dezembro de 2015 as 3:36

A mensagem ameaçadora foi exposta na página inicial do site de uma Igreja Católica. (Foto: Forte)
A mensagem ameaçadora foi exposta na página inicial do site de uma Igreja Católica. (Foto: Forte)
O site de uma igreja católica foi invadido por hackers do Estado Islâmico com uma ameaça destinada ao Papa Francisco e à Roma, o berço do Vaticano.

A mensagem ameaçadora foi exposta na página inicial do site da Igreja Católica Siríaca Senhora da Misericórdia em Sydney, na Austrália — composta por grande parte de iraquianos e sírios.

"Nós não negociamos se não com o canhão, não temos diálogos se não com as armas, não vamos conversar se não usando força", começa o grupo extremista no texto ameaçador.

"Não vamos parar a luta até que nós façamos Adhan (uma chamada para a oração islâmica) e oremos em Roma pela vontade de Alá em uma conquista, como uma promessa de Alá, e Alá não quebrar sua promessa. A Rússia ficará sob a autoridade Alá, se deus quiser", finaliza a mensagem.

O Pároco Rahal Dergham disse que os membros da igreja receberam a mensagem com um choque, seguido de um sentimento de raiva e mágoa. "Muitas de nossas famílias ainda estão sob a ameaça do EI; a maioria foi ferida, deslocada ou estuprada", aponta.

Dergham observa que as pessoas perderam o medo, pois já perderam todo o restante. "Estamos sempre esperando que, em um estágio, o EI seja derrotado e nós estejamos de volta para as nossas cidades, igrejas, mosteiros, comunidades, propriedades e negócios, como de costume. Mas as pessoas perderam a esperança."

A igreja acredita que seu forte apelo em ajudar e abrigar sírios e iraquianos refugiados a tornou o novo alvo do grupo terrorista. 

Imagem da ameaça feita na página inicial do site da Igreja Católica. (Foto: Reprodução)

Em uma mensagem publicada pela igreja no Facebook, os membros disseram: "Nós não retaliamos com armas ou palavras duras, mas pelo poder de Cristo na oração, na fé, na esperança, no amor e no conhecimento."

veja também