Jogador de beisebol relata libertação do alcoolismo: “Me voltei a Deus para ter ajuda”

Matt Bush, que frequenta a mesma igreja de seus companheiros de equipe, admitiu que teve que lutar contra alguns demônios. "Agora, eu tenho outra chance. Eu não sou a mesma pessoa que eu era. Eu não quero ser aquela pessoa nunca mais", disse ele.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2016 as 6:01

Matt Bush frequenta um programa de reabilitação alcoólica e tem se apoiado em Deus para sua libertação completa. (Foto: USA Today Sports/Jim Cowsert)
Matt Bush frequenta um programa de reabilitação alcoólica e tem se apoiado em Deus para sua libertação completa. (Foto: USA Today Sports/Jim Cowsert)

Além de lutar por títulos na World Series, o jogador de beisebol Matt Bush se voltou para Deus a fim de enfrentar sua grande dificuldade: o alcoolismo.

O vício em álcool levou Bush, de 30 anos, a provocar um acidente que feriu gravemente um idoso, em 2012. Depois de cumprir quatro anos de prisão, o atleta recebeu uma nova oportunidade na equipe do Texas Rangers, no último mês.

Hoje, ele frequenta um programa de reabilitação alcoólica e tem se apoiado em Deus para sua libertação completa.

"Não era divertido viver naquela tristeza, naquela queda espiral. No passado, eu queria fazer tudo sozinho, e nunca consegui. Desta vez, eu me voltei a Deus para ter ajuda e apoio, permitindo que o Rangers me ajude, me dê orientação e estrutura”, disse ele em entrevista ao USA Today.

O atleta, que frequenta a mesma igreja de seus companheiros de equipe, admitiu que teve que lutar contra alguns demônios. "Eu sempre tive talento, sempre amei este esporte, mas eu tinha demônios que me aprisionaram. Agora, eu tenho outra chance. Eu não sou a mesma pessoa que eu era. Eu não quero ser aquela pessoa nunca mais", disse ele.

Roy Silver, assistente de desenvolvimento dos jogadores dos Rangers, conta que ajudou Bush a se adaptar às mudanças e a se manter responsável. Quando Bush está em casa, está na companhia de seu pai, e quando está nos jogos, fica com a companhia de Silver.

Enquanto Silver reconhece o risco envolvido em contratar Bush logo após seu período de prisão, ele também se baseia na fé para conduzir a situação do atleta. "Não há garantias. Não somos ingênuos, algo poderia acontecer. Esta é a vida. Mas você espera e ora, ora e espera, e escolhe ter fé e acreditar”, disse ele ao ESPN em abril.

Hoje, Bush é grato por ter outra oportunidade no beisebol. "Eu estou sóbrio. Eu gosto de mim agora. Realmente, nunca estive tão feliz em minha vida. Eu sei que feri muitas pessoas ao longo dos anos. Agora, eu quero deixá-las orgulhosas, e estar em uma equipe como esta é como um sonho", disse ele.

veja também