Lei para instalação de banheiros transgêneros pode ser votada ainda este ano, nos EUA

Muitos cristãos e pastores se posicionaram contra a proposta e coletaram assinaturas suficientes para colocar a medida em votação (ao invés de deixa-la passar como um decreto), como um referendo durante a eleição de 2014.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 4 Novembro de 2015 as 10:32

Grupo 'Texas Values Action' expressa seu repúdio à portaria de instalação dos banheiros transgêneros (Foto: TEXAS VALUES ACTION)
Grupo 'Texas Values Action' expressa seu repúdio à portaria de instalação dos banheiros transgêneros (Foto: TEXAS VALUES ACTION)

Na última terça-feira (03), o voto dos cidadãos de Houston (TX), nos EUA, apontou para uma possível defesa da instalação de banheiros transgêneros na cidade.

Apesar da aprovação da 'Portaria de Direitos Igualitários de Houston' (HERO), que é uma ampla delimitação do âmbito não-discriminatório, defendida pela prefeita Annis Parker (assumidamente lésbica), muitos cristãos e outros cidadãos expressaram sua preocupação com o decreto de lei, que permite às pessoas, o uso de banheiros públicos, conforme o gênero pelo qual "se identificam" e não o de nascença. Isto significa que um macho biológico pode usar o banheiro de uma mulher, por exemplo, o que muitos opositores da lei colocam como um fator de risco para meninas e mulheres.

Muitos cristãos e pastores se posicionaram contra a proposta e coletaram assinaturas suficientes para colocar a medida em votação (ao invés de deixa-la passar como um decreto), como um referendo durante a eleição de 2014.

Parker, no entanto, usou sua influência para evitar colocar a ordenança HERO na cédula de 2014, alegando que muitas das assinaturas recolhidas pela oposição não eram válidas. Mas em junho, a Suprema Corte do Texas decidiu que a cidade deve revogar o decreto de lei HERO ou colocá-lo nas urnas este ano.

Como cristãos conservadores organizaram comícios de oração nacionais para se opor à medida, Parker tentou intimar os sermões de cinco pastores de Houston por causa de sua oposição à medida.

Segundo relatos do site 'The Examiner Christian', um desses cinco pastores de Houston que foi intimado por Parker, Ed Young, da Segunda Igreja Batista de Houston, disse durante um sermão em setembro que a manutenção da portaria deixaria aqueles que se opõem a ela, vulneráveis a "algo que é absolutamente fora dos princípios de Deus".

"Você diz que eu estou sendo político. Bem, não. Eu falo sobre uma questão moral muito grave", Young advertiu durante o sermão. "Aqueles de nós que acreditamos que os homens devem usar instalações masculinas e das mulheres devem utilizar as instalações femininas, vamos ser discriminados".

Young estava provavelmente referindo-se ao fato de que as empresas e instituições que não permitem que indivíduos transgêneros usem o banheiro do sexo segundo o gênero com o qual "se identificam" poderia ser obrigada a pagar uma multa de US $ 5.000, segundo a lei.

No último domingo, uma coalizão pró-HERO, convocou a cidade para a realização de um evento para tentar reunir os cidadãos religiosos de Houston para apoiar a ordenança com um evento chamado "Almas às Urnas". Davis explicou que as pessoas de 16 das mais de 1.000 congregações da área de Houston se reuniram em suas igrejas e, em seguida, reuniram-se para votar cedo em favor da proposta.

"Para muitas pessoas de fé, que votam a favor da HERO esta é uma oportunidade de votar com sua consciência na defesa do valor compartilhado para tratar o próximo como eles gostariam de ser tratados", Davis argumentou. "Todos os cidadãos de Houston merecem ser tratados com dignidade, respeito e igualdade aos olhos da lei, e a HERO garante que tudo será assim".

Em uma outra tentativa de provar que os cristãos estão a apoiando a Proposta, Davis citou a experiência do organizador regional do programa HRC, Ryan Wilson, com quem se reuniu na Igreja considerada 'inclusiva', 'Emerson Unitarian Universalist'.

A denominação é vista como uma forma de cristianismo liberal e é conhecida por incluir muitos ateus e agnósticos em sua membresia.

veja também