Maioria dos pastores protestantes enxergam a atuação do Papa Francisco de forma positiva, aponta pesquisa

Metade dos pastores protestantes afirmam que o impacto do papa tem sido muito positivo, em comparação a 30% dos pastores evangélicos pentecostais.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 25 Setembro de 2015 as 2:55

Papa Francisco abraça o pastor Giovanni Traettino, durante o encontro no Vaticano. (Foto: Rádio Vaticano)
Papa Francisco abraça o pastor Giovanni Traettino, durante o encontro no Vaticano. (Foto: Rádio Vaticano)

 

A popularidade do papa Francisco está aumentando não só na Igreja Católica, como também na tradicional Igreja Protestante. De acordo com uma pesquisa feita pela LifeWay Research, 40% dos pastores protestantes americanos afirmam ter uma visão mais positiva sobre a Igreja Católica depois da liderança do pontífice argentino.
 
Por outro lado, os pastores evangélicos pentecostais são mais céticos do que os protestantes em relação ao papa. Deles, 58% acreditam que o pontífice é um verdadeiro cristão, em comparação com 80% dos pastores protestantes.
 
57% dos pastores protestantes são mais propensos a valorizar a opinião do papa do que o grupo pequeno de 36% de evangélicos. Metade dos pastores protestantes afirmam que o impacto do papa tem sido muito positivo, em comparação a 30% dos pastores evangélicos.
 
A pesquisa foi realizada antes da viagem de Francisco para os Estados Unidos esta semana, nação onde seu índice de aprovação é alto entre a população. Alguns comentaristas atribuem a popularidade do papa à sua posição mais suave em relação a questões como a homossexualidade e o aborto, além de evidenciar a mensagem de amor de Jesus e a defesa aos pobres.

Contradição
 
Para Ed Stetzer, diretor da LifeWay, observar o apoio ao papa vindo de pastores protestantes, que surgiram após a Reforma Protestante, é algo contraditório. "A pesquisa mostra, de fato, o resultado do 'Efeito Francisco', já que ele é apoiado pelo grupo de pessoas nomeadas para protestar contra a própria fé conduzida pelo papa."
 
"Os precursores dos atuais pastores protestantes — Lutero, Wesley, Spurgeon e muitos outros — certamente não veriam o papa como seu 'irmão em Cristo'. Dentro de alguns séculos, o papa passou de 'anti-Cristo' para 'irmão em Cristo' para muitos protestantes", alertou Stetzer.

veja também