Mais de 300 crianças são resgatadas após polícia fechar site de pornografia infantil

O FBI conseguiu rastrear e prender o criador de um grande site de pedofilia e outras 900 pessoas ligadas a redes de exploração e abuso sexual de crianças.

fonte: Guiame, com informações do Christian News

Atualizado: Quinta-feira, 25 Maio de 2017 as 4:44

Crianças participam de protesto contra a pornografia infantil. (Foto: vietditru.org)
Crianças participam de protesto contra a pornografia infantil. (Foto: vietditru.org)

A identificação e prisão de um criador de sites de pornografia infantil resultou em quase 900 prisões em todo o mundo e mais de 300 crianças resgatadas, conforme anunciou o FBI recentemente, neste mês de maio.

Steven Chase, de 58 anos, o operador do já extinto site "Playpen", foi condenado a 30 anos de prisão por um tribunal da cidade de Charlotte, Carolina do Norte (EUA). Ele também será supervisionado após a sua libertação pelo resto de sua vida e deve perder sua casa atual e qualquer outra propriedade usada para a prática de seus crimes para a promoção da pornografia infantil.

Chase havia sido preso em fevereiro de 2015 e acusado de participar de uma rede de exploração de crianças, outra rede de pornografia infantil, além três acusações de veiculação de pornografia infantil e uma acusação de posse de pornografia infantil. Ele foi considerado culpado após julgamento com júri, em setembro (2016).

Seu site "Playpen", que teria 150 mil usuários cadastrados em todo o mundo, fazia parte da rede de anonimato "Tor" e permitia que pedófilos acessassem dezenas de milhares de imagens ilícitas de crianças sendo abusadas sexualmente.

Enquanto os usuários tentavam esconder sua atividade criminosa, em dezembro de 2014, Chase revelou acidentalmente seu endereço IP, que foi capturado por uma agência estrangeira. Esta, por sua vez, notificou o FBI. A casa de Chase foi posteriormente rastreada e milhares de imagens foram descobertas em seus dispositivos eletrônicos.

Seus colaboradores, Michael Fluckiger, de 46 anos, de Portland, Indiana, e David Lynn Browning, 47, de Wooton, Kentucky, também foram presos.

Em janeiro de 2015, o FBI, junto com a 'Seção de Exploração Infantil e Obscenidade do Departamento de Justiça' dos EUA, lançou uma operação especial para destruir o restante dos outros milhares de usuários do site.

A mobilização utilizou uma técnica de investigação em rede (NIT) para decifrar seus endereços de IP, que forneceeram resultados em cada estado dos EUA, de acordo com a agência governamental.

O governo dos EUA também trabalhou com agências policiais em outros países, como o Reino Unido, Nova Zelândia, Itália, Israel, Turquia, Peru, Malásia, Chile e Ucrânia. Como resultado, 350 usuários dos EUA e 548 de outros países foram presos.

55 crianças nos Estados Unidos e 296 crianças em todo o mundo foram identificadas e / ou resgatadas das redes de exploração ligadas ao site.

"O caso - e as milhares de investigações de acompanhamento que lançamos - é sem precedentes em seu alcance", disse o FBI em um comunicado. "Representa o nosso esforço mais bem sucedido até agora contra usuários [de pornografia infantil] locais escondidos. E abriu novos caminhos para a cooperação internacional nos esforços para processar os abusadores de crianças em todo o mundo".

"Muitos pedófilos usam fóruns on-line em redes anônimas para cometer abusos e explorar crianças, se aproveitando dos mais inexperientes e vulneráveis ​​na sociedade. Esse problema generalizado e global exige uma resposta agressiva e orientada pela tecnologia", afirmou o procurador-geral dos Estados Unidos, Kenneth Blanco.

"A sentença do criador do fórum Playpen, juntamente com a identificação, apreensão e acusação de membros do site em todo o país - envia uma mensagem de que abusadores on-line serão presos e processados", disse ele.

 

veja também