Manifestantes preparam protestos contra o islamismo para este final de semana, nos EUA

Os manifestantes dizem que vão reunir em frente a Mesquitas, bem como edifícios do governo. Os encontros para as manifestações têm sido combinados por meio de uma série de páginas do Facebook, que conta com o envolvimento de milhares de pessoas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 9 Outubro de 2015 as 3:59

A preocupação é crescente com relação às manifestações anti-islamismo, que devem acontecer lugar em várias cidades dos Estados Unidos. As reuniões são planeadas para acontecer em cidades como Seattle, Atlanta, San Francisco e Detroit e algumas devem acontecer ainda hoje (09 de outubro). Outras devem acontecer neste sábado (10).

Os manifestantes dizem que vão reunir em frente a Mesquitas, bem como edifícios do governo. Os encontros para as manifestações têm sido combinados por meio de uma série de páginas do Facebook, que conta com o envolvimento de milhares de pessoas.

Há preocupação suficiente no entanto, para que o 'Southern Poverty Law Centre' - uma associação destinada a combater a intolerância - se pronunciasse. Um porta-voz disse: "Os líderes muçulmanos e inter-religiosos de todo o país estão respondendo a esses comícios vigorosamente... Embora possa ser fácil descartar os homens e mulheres que participam desses comícios na frente de casas de culto como extremistas, são na verdade, a manifestação física de uma retórica abominável contra as comunidades muçulmanas, que têm estado conosco por boa parte da história dos Estados Unidos ... Este ódio anti-muçulmano, juntamente com outras formas de racismo flagrante, está sendo incubado e até mesmo celebrado na política e no pensamento público".

Há uma preocupação especial de que muitos dos eventos são anunciados como "abertos", o que gera uma atmosfera potencialmente tensa.

O Conselho de Relações Islâmico-Americanas (CAIR) pediu aos líderes das Mesquitas que estejam preparados para a violência e tomem precauções. Segundo o 'Christian Today' informou no início desta semana, as marchas americanas surgem na sequência das marchas anti-islamismo, formadas pelo grupo alemão de direita 'PEGIDA', na Europa, e que têm atraído multidões de cerca de 20 mil pessoas.

O porta-voz Ibrahim Hooper disse que há uma preocupação especial em torno deste fim de semana - mesmo em comparação com eventos semelhantes, que aconteceram anteriormente.

"No início, não queria trazer isto a público, mas em algum nível você tem que alertar a comunidade sobre essas manifestações de ódio potencialmente violentas", disse ele.

Ativistas inter-religiosos estão organizando contra-eventos e também encorajando os cristãos e pessoas de outras religiões para tirar um tempo neste fim de semana para chegar aos seus vizinhos.

Cristãos norte-americanos vivem um contexto de debates sobre participar ou não destas manifestações. Até agora, porém, os líderes cristãos de alto perfil parecem ter evitado endossar os eventos que ganhando espaço nas agendas deste fim de semana.

veja também