Marco Feliciano comenta o processo contra Levy Fidélix: "Vivemos a ditadura gay"

O deputado e pastor alertou para irregularidades existentes no processo.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 17 Março de 2015 as 9:33

Na noite da última segunda-feira (16), o deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) publicou em sua página oficial do Facebook, um comentário sobre o processo judicial ao qual o ex-candidato à presidência, Levy Fidélix (PRTB) está sendo submetido.

Fidélix foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, na última sexta-feira (13), a pagar uma multa de R$ 1 milhão ao movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT), por suas declarações - que foram consideradas "homofóbicas" - em um debate político que a rede Record realizou em 2014 (antes das eleições presidenciais).

Postando o seu comentário junto a uma foto (à esquerda) que havia tirado com o ex-candidato, Feliciano criticou a decisão do Tribunal de SP e chegou a apontar irregularidades no processo.

"Vivemos a ditadura gay, venho falando sobre ela desde 2011. Sem haver no código penal o crime por homofobia, Levy foi condenado, imaginem se homofobia estivesse tipificada no código penal... Pastores e padres não poderão mais pregar em seus púlpitos o que a Bíblia diz ser pecado", disse.

Feliciano ainda alertou sobre o possível caminho que este caso pode tomar.

"Se Levy Fidélix for condenado em todas as instâncias, criar-se-á a jurisprudência sem que haja necessidade da lei aprovada. Assim como foi no caso da união estável e civil entre pessoas do mesmo sexo", destacou.

Além de sua indignação com o processo, o parlamentar ressaltou que Fidélix ainda tem chances de recorrer da decisão.

"Este senhor, cidadão de bem, pai, avô, tem meu respeito e minha admiração. Levy Fidélix foi processado e condenado a pagar uma multa de 1 milhão de reais por expressar seus pensamentos, ainda cabe recurso, e vou torcer para que ele seja inocentado em outra instância", lembrou.

 

 

veja também