"Me aproximou mais de Deus", afirma diretor do filme 'O Jovem Messias'

Com a Terra Santa em tumulto, o jovem Jesus e sua família deixam o Egito para a sua terra natal em Israel. Seu pai terreno José e sua mãe Maria tentam proteger Jesus de conhecer a verdade sobre si mesmo.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2016 as 5:40

O filme "The Young Messiah” (O Jovem Messias) chegará aos cinemas americanos no dia 11 de março e aqui no Brasil no dia 24 do mesmo mês. Baseado no romance “Christ the Lord: Out of Egypt” (Cristo, o Senhor: fora do Egito) de Anne Rice, o longa ilustra a vida de Jesus Cristo quando criança. Dirigido por Cyrus Nowrasteh e co-escrito com Betsy Giffen, o filme narra um ano na vida de Jesus quando ele tinha sete anos.

Com a Terra Santa em tumulto, o jovem Jesus e sua família deixam o Egito para a sua terra natal em Israel. Seu pai terreno José e sua mãe Maria tentam proteger Jesus de conhecer a verdade sobre si mesmo. Eles estão plenamente conscientes dos perigos de seu mundo, incluindo o corrupto Rei Herodes, distúrbios civis e uma força romana de ocupação brutal. A família é confrontada com crises reais e inimigos grandes e pequenos. O filme explora a fé, o amor, a fidelidade e humor.

Em uma entrevista com Nowrasteh, o diretor e co-escritor do filme, para o site americano Christian Post, ele compartilha sobre o making of do filme, além do retorno milagroso depois de milhões que foi perdido durante a gravação original e como o filme o afetou de forma pessoal.

O site perguntou sobre o personagem que representa satanás logo no início do filme e pede para o diretor explicar a ideia por trás disso. “Satanás está presente no romance e decidimos expandir esta ideia. Fazendo-o sempre presente, à espreita da criança, acompanhando e assistindo. É uma ameaça que só o menino pode ver. Em um drama como este, é vantajoso ter o antagonista presente, tanto por razões dramáticas como teológicas”, respondeu.

No filme, o Jesus menino realiza três milagres. Indagado sobre o assunto, Nowrasteh responde: “Ele realiza três milagres em nosso filme e é claro esta é a primeira vez que ele está consciente disso. Ele perturba e impulsiona a nossa história para frente. O milagre de transformar água em vinho foi ‘sugerida’ por Maria a Jesus. Por esse motivo, ela deve ter conhecido ou visto isso no passado. Essa foi a nossa premissa. Mas, Jesus transformar água em vinho é o primeiro milagre registrado”.

Segundo o diretor, foi decidido que Jesus não teria irmãos no longa. “Os teólogos consultados foram incapazes de chegar a um acordo sobre o personagem ‘James’. Algumas denominações acreditam que ele era mais jovem, o que contraria as crenças de muitos. Em outras denominações (ortodoxas) James é mais velho por um casamento anterior de José - mais uma vez, ofendendo a muitos. Além disso, nos tempos bíblicos, com famílias extensas, os primos foram muitas vezes chamados de "irmãos" e "irmãs". Então nós escolhemos para retratar James como um primo”, disse.

Por fim, diretor foi indagado sobre o impacto que o filme teve sobre ele. “Fazendo este filme, tive a oportunidade de contar essa história única. Foi um privilégio e honra. Toda a experiência me humilhou e me trouxe para mais perto de Deus”, disse.

Confira o trailer legendado

veja também