Memorial judaico é inaugurado na sinagoga mais antiga de SP

Com um acervo de cerca de oitocentos itens incluindo documentos e peças utilizadas em rituais religiosos, o memorial ressalta a contribuição da comunidade judaica na construção de São Paulo.

fonte: Guiame, com informações de Folha de São Paulo

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2016 as 11:46

Os painéis interativos mostram, por exemplo, uma galeria de personalidades judaicas. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
Os painéis interativos mostram, por exemplo, uma galeria de personalidades judaicas. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

Kehilat Israel, a sinagoga mais antiga de São Paulo, inaugurou nesta terça-feira (23) um memorial da imigração judaica, com peças e documentos que relatam a história do povo judeu na cidade.

Para o curador Fábio Magalhães, faltava um espaço em que a própria comunidade judaica contasse sua história, assim como fizeram italianos e japoneses ao construir seus centros de memória. "O objetivo é antes didático do que histórico, queremos que as pessoas aprendam sobre os costumes e a trajetória dos judeus brasileiros", conta.

Com um acervo de cerca de oitocentos itens incluindo documentos e peças utilizadas em rituais religiosos, o memorial ressalta a contribuição da comunidade judaica na construção de São Paulo.

A exposição conta com painéis interativos desenvolvidos pela Base 7, empresa responsável pelo Museu do Futebol. Os painéis mostram, por exemplo, uma galeria de personalidades judaicas que vai da atriz Débora Bloch ao estilista Alexandre Herchcovitch.

Um antigo mapa do bairro do Bom Retiro, onde é localizada a sinagoga, é projetado em uma mesa que mostra como as diversas organizações judaicas foram se estabelecendo na região, modificando a paisagem.

As principais festas e rituais também são explicadas ao público, entre elas, o casamento. Para isso, foi montado um altar com uma taça virtual que pode ser quebrada, assim como nas cerimônias reais.

Itens como castiçais, mezuzás e fotos vieram sobretudo de doações da comunidade. "Por ser a mais antiga, a Kehilat Israel [do hebraico, comunidade de Israel] é muito querida por toda a comunidade e tivemos doações de famílias que frequentam muitas sinagogas", explica o rabino David Weitman, atual responsável pela sinagoga.

O memorial está aberto com quatro andares, com previsão de inaugurar um quanto andar em 2017, explicando especificidades dos doze países que enviaram imigrantes judeus para o Brasil e as diferentes razões que motivaram cada uma das ondas imigratórias, além de um jardim relembrando as vítimas do Holocausto.

Fundada em 1912, a sinagoga continuará funcionando, mesmo com o memorial.

Serviço:
Memorial da Imigração Judaica
Quando: De segunda a sexta, das 10h às 17h
Local: Kehilat Israel | Rua da Graça, 160
Informações: (11) 3663-2838
Classificação: 14 anos
Entrada gratuita

veja também