Menina é apedrejada por ser do candomblé e Malafaia comenta: "Repudiamos isso"

O pastor Silas Malafaia questionou a veracidade das acusações das candomblecistas. "Ninguém sabe se é evangélico ou não, eu tô vendo aí uma falácia muito perigosa, acusar se não sabe. Se é evangélico mete na cadeia, vai fazer um favor para nós."

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Quinta-feira, 18 Junho de 2015 as 6

Kailane Campos, uma candomblecista de 11 anos, foi apedrejada na saída de um culto.
Kailane Campos, uma candomblecista de 11 anos, foi apedrejada na saída de um culto.

 

Kailane Campos, uma candomblecista de 11 anos, foi apedrejada na saída de um culto no último domingo (14). Segundo a avó, que é mãe de santo, o grupo estava vestido de branco enquanto caminhavam para casa, na Vila da Penha, quando dois homens começaram a insultá-los.

Um deles jogou uma pedra, que bateu num poste e depois atingiu a menina. “O que chamou a atenção foi que eles começaram a levantar a Bíblia e a chamar todo mundo de ‘diabo’, ‘vai para o inferno’, ‘Jesus está voltando’", afirmou a avó da menina, Káthia Marinho.

Na delegacia, o caso foi registrado como preconceito de raça, cor, etnia ou religião e também como lesão corporal, provocada por pedrada. Os agressores fugiram num ônibus que passava pela Avenida Meriti, no mesmo bairro. A polícia, agora, busca imagens das câmeras de segurança do veículo para tentar identificar os dois homens.

O pastor Silas Malafaia questionou a veracidade das acusações das candomblecistas. "Ninguém sabe se é evangélico ou não, eu tô vendo aí uma falácia muito perigosa, acusar se não sabe. Se é evangélico mete na cadeia, vai fazer um favor para nós."

"Em primeiro lugar a gente repudia qualquer violência, não é só religiosa não. Se for religiosa fica mais vergonhoso ainda", esclarece o pastor.

Silas ainda rebateu críticas contra a liderança evangélica. "Que conversa é essa de dizer que a liderança evangélica não se posiciona?", questiona o pastor, afirmando que não foi procurado por jornalistas para comentar o caso.

"Repudiamos isso, não aceitamos. Nós entendemos que a sociedade é livre para você crer no que você quiser", explica o pastor.

Silas disse que muitas vezes evangélicos são atacados, porém não se pronunciam. "Achem os culpados, metam na cadeia, mas primeiro saibam se são evangélicos ou não para ficar melhor", finaliza.

Assista ao vídeo de Silas Malafaia:

veja também