Operação antiterrorismo termina com 7 presos e 2 suspeitos mortos em Paris

A operação buscava suspeitos ligados a Ismael Mostefai e Samy Amimour, dois dos três terroristas que mataram 89 pessoas na casa de shows Bataclan, mas se suicidaram em uma explosão.

fonte: Guiame, com informações de Folha de São Paulo

Atualizado: Quarta-feira, 18 Novembro de 2015 as 11:14

Policiais participam nesta quarta-feira de operação antiterror em Saint-Denis, ao norte de Paris. (Foto: François Mori/Associated Press)
Policiais participam nesta quarta-feira de operação antiterror em Saint-Denis, ao norte de Paris. (Foto: François Mori/Associated Press)

Uma megaoperação  em Saint-Denis, subúrbio ao norte de Paris, terminou com a prisão de sete e a morte de dois suspeitos que teriam ligação com os ataques terroristas contra a capital francesa na semana passada.

Por volta de 4h20 (1h20 no horário de Brasília) desta quarta-feira (18), policiais cercaram a esquina das ruas Corbillon e République, no centro da cidade. Mais tarde, soldados chegaram ao local da operação, que durou mais de sete horas.

Segundo as autoridades, uma mulher-bomba se suicidou ao detonar explosivos que carregava junto ao corpo. Relatos apontam que um segundo suspeito teria sido morto por um atirador da polícia.

Os suspeitos, cujas identidades não foram reveladas, ocupavam um ou mais apartamentos na região. Houve uma intensa troca de tiros e explosões. 

Três suspeitos foram presos em um apartamento e outros quatro nos arredores. Cinco policiais ficaram feridos e um cão policial fêmea foi morto.

Após o confronto, as autoridades orientaram os moradores a não deixar suas casas. Estações de trem e estabelecimentos comerciais na região foram fechados, e aulas escolares canceladas.

Segundo a emissora americana CNN, a operação teria impedido os suspeitos de realizar novos atentados, planejados para ocorrer em breve. Essa informações não foram confirmadas pelas autoridades.

Além disso, a operação buscava suspeitos ligados a Ismael Mostefai e Samy Amimour, dois dos três terroristas que mataram 89 pessoas na casa de shows Bataclan, mas se suicidaram em uma explosão.

De acordo com a Procuradoria, a operação antiterrorismo foi lançada depois que interceptações telefônicas indicaram que um suposto estrategista dos atentados, o belga Abdelhamid Abaaoud, estaria em Paris, e não na Síria, como se acreditava inicialmente. Não se sabe se o extremista foi morto, preso, ou se continua foragido.

veja também