Organização estima que número de muçulmanos e cristãos no mundo será quase equiparado em 2050

Estudo também calcula que juntos, cristãos e muçulmanos representarão 69% da população mundial

fonte: Guiame, com informações da Exame

Atualizado: Sexta-feira, 22 Maio de 2015 as 10:53

Religiões
Religiões

Um estudo intitulado 'The Future of World Religions: Population Growth Projections' ('O Futuro das Religiões do Mundo: Projeções de Crescimento da População', em português) foi feito pelo Pew Research Center, uma organização que conduz pesquisas independentes sobre diferentes temas e em escala global.

Com a ajuda de especialistas, o estudo divulga algumas previsões sobre o futuro da religião no mundo. As análises foram feitas com base em projeções demográficas de grupos religiosos, distribuição geográfica, padrões migratórios, e taxas de fertilidade e mortalidade.

Além de religiões associadas a costumes tribais, o estudo visa principalmente os cristãos, judeus, muçulmanos, budistas e hindus.

A organização frisa que as estimativas são apenas tendências. “Agora, o que significa ser cristão, muçulmano ou judeu irá variar de pessoa para pessoa, de país para país e de década para década”, destacam.

Uma das estimativas que mais chamam atenção é a de que em 2050 o número de muçulmanos será quase equiparado ao de cristãos (2,8 bilhões contra 2,9 bilhões), e que juntos, muçulmanos e cristãos vão corresponder a 69% da população mundial.

Quanto aos judeus, acredita-se que até 2050 eles sejam pouco mais de 16 milhões, registrando um crescimento de 16% nas próximas décadas.

Outra estimativa listada pelo Pew Research Center é que o cristianismo será a religião que mais vai perder fieis. Enquanto 40 milhões de pessoas se tornarão cristãs, outras 106 milhões deixarão de ser. Além disso, alguns países, como França, Holanda, Nova Zelândia, Macedônia e Bósnia-Herzegovina, deixarão de ter os cristãos como maioria da população.

veja também