Palestinos restauram igreja construída no local onde Jesus nasceu

O projeto, financiado por palestinos e conduzido por uma equipe de especialistas de outros países, é o maior voltado a restauração da igreja dentro de 600 anos.

fonte: Guiame, com informações de Associated Press

Atualizado: Terça-feira, 16 Fevereiro de 2016 as 12:03

A renovação está sendo conduzida por uma equipa conjunta de engenheiros, especialistas em restauração e trabalhadores palestinos e italianos. (Foto: AP Photo/Nasser Nasser)
A renovação está sendo conduzida por uma equipa conjunta de engenheiros, especialistas em restauração e trabalhadores palestinos e italianos. (Foto: AP Photo/Nasser Nasser)

Depois de dois anos de trabalho, foi concluída a fase inicial do projeto de restauração da Igreja da Natividade, construída no local onde Jesus Cristo nasceu.

O projeto, financiado por palestinos e conduzido por uma equipe de especialistas de outros países, é o maior voltado a restauração da igreja dentro de 600 anos.

Ainda que os palestinos sejam esmagadoramente muçulmanos, eles consideram a igreja um tesouro nacional e um de seus pontos turísticos mais visitados. O presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmoud Abbas, está ativamente envolvido no projeto.

Ziad al-Bandak, que lidera o comitê palestino encarregado pela restauração, classifica a obra como "revolucionária". "Pela primeira vez você pode ver, quando olhar para cima, os mosaicos mais magníficos, belos e únicos de todo o mundo", disse ele.

A Igreja da Natividade, localizada em Belém, na Cisjordânia, foi construída por Helena — hoje considerada uma santa católica — no século 4, sobre a gruta onde Maria deu à luz a Jesus.

Apesar de seu significado, a igreja foi negligenciada por séculos e está listada como um local ameaçado de extinção pela UNESCO, a agência cultural das Nações Unidas. Há dois anos, uma forte chuva danificou seu telhado, ameaçando prejudicar a obra artística impressa no ambiente.


(Foto: AP Photo/Nasser Nasser)

Em 2013, a Autoridade Palestina, assumiu a liderança no financiamento da recuperação. O restante do valor foi pago pelo setor privado palestino e pelas igrejas Católica, Ortodoxa Grega e armênias. Segundo Al-Bandak, quase US$ 8 milhões já foram gastos.

A renovação está sendo conduzida por uma equipa conjunta de engenheiros, especialistas em restauração e trabalhadores palestinos e italianos.

Depois de completar os mosaicos, irão restaurar outras áreas da igreja, trabalhando nas paredes, fachada de pedra e nas vigas de madeira.

O andaime de metal só será removido depois que essas etapas forem concluídas, de acordo com Afif Tweme, gerente de projeto de restauração. Ele espera que tudo isso seja feito até o final do ano.

(Foto: AP Photo/Nasser Nasser)

A restauração completa irá continuar em fases e deve durar mais três anos. O trabalho vai depender da disponibilidade de fundos. Al-Bandak disse é necessário um adicional de US$ 11 milhões. A Autoridade Palestina já lançou uma campanha para levantar os fundos e Abbas se comprometeu a seguir adiante.

veja também