Papa incentiva cientistas a falarem sobre o Big Bang: "Não tenham medo da verdade"

O papa Francisco recebeu cientistas no Vaticano, para que eles apresentassem estudos detalhados sobre a teoria do Big Bang sobre o surgimento do universo.

fonte: Guiame, com informações do Independent

Atualizado: Terça-feira, 16 Maio de 2017 as 12:58

Papa Francisco. (Foto: Reuters)
Papa Francisco. (Foto: Reuters)

Nos últimos dias 9 a 12 de maio, o Vaticano recebeu cientistas e cosmólogos de todo o mundo para que eles pudessem expor melhor suas explicações sobre a 'teoria do Big Bang'.

Astrofísicos e outros especialistas participaram do encontro, realizado no Observatório do Vaticano para discutir buracos negros, ondas gravitacionais e singularidades entre o espaço e o tempo. O evento tinha também como objetivo, homenagear o falecido cosmólogo jesuíta, monsenhor George Lemaitre, considerado "um dos primeiros a difundir a ideia de que o universo começou com uma grande explosão".

A conferência é parte de uma crescente admissão por parte da Igreja Católica Romana de que as teorias científicas, como a do evolucionismo "são reais e não necessariamente entram em contradição com a doutrina teológica".

O papa Francisco já havia declarado em 2014, por exemplo, que Deus não é "um mágico com uma varinha mágica" e que o evolucionismo e a teoria do Big Bang são reais.

O observatório onde foi realizado o encontro foi fundado pelo papa Leão XIII, em 1891, para ajudar a desfazer a ideia de que a Igreja Católica Romana era hostil à ciência.

Em 1927, Lemaitre foi o primeiro a explicar que "o recuo das galáxias distantes foi resultante da expansão do universo", que por sua vez teria ocorrido pela solução de equações da teoria da relatividade geral de Einstein.

A teoria de Lemaitre era conhecida como o "átomo primitivo", mas é mais comumente conhecida hoje como a teoria do big-bang.

"Ele entendeu que olhando para trás no tempo, o universo deveria estar originalmente em um estado de alta densidade de energia, comprimido a um ponto como um átomo original do qual tudo começou", diz um comunicado de imprensa do Observatório.

O chefe do Observatório do Vaticano, jesuíta Irmão Guy Consolmagno, diz que a pesquisa de Lemaitre prova que "você pode acreditar em Deus e na teoria do big bang".

Durante o evento, Francisco compartilhou uma palavra de abertura com os cientistas, tendo um tom de incentivo, segundo o site oficial da Rádio Vaticano.

"Jamais se deve ter medo da verdade”, concluiu o Papa encorajando o trabalho dos cientistas. "Caminhando rumo às periferias do conhecimento humano, pode-se realmente fazer uma experiência autêntica do Senhor, que é capaz de preencher o nosso coração".


Criacionismo
Enquanto o papa Francisco e o Vaticano seguem dando espaço à teoria do Big Bang e ao evolucionismo como "explicações plausíveis para a origem do universo", cientistas renomados têm se empenhado em destacar não há outra explicação para este tema, senão a de que o mundo foi completamente criado.

Segundo Christiano Neto, fundador da Associação Brasileira de Pesquisa da Criação (1979), o criacionismo é a única teoria capaz de explicar a origem do universo.

"Eu pude perceber através de uma argumentação séria, científica que a teoria da evolução é falsa ciência. E que a ideia da criação, como está narrada nas Escrituras, é que corresponde aos dados que a natureza nos fornece à respeito das nossas origens. Então, isso para mim foi libertador”, relatou.

Christiano também conta que esta certeza também contribuiu ainda mais para a descoberta de seu chamado ministerial.

"Felizmente nós podemos mostrar através do Criacionismo que a teoria da evolução é uma falsa ciência e foi depois desse encontro em Londres que eu me senti comprometido com Deus, convidado para retornar ao país e dar início a uma das vertentes do ministério criacionista, que é a ABPC, Associação Brasileira de Pesquisa da Criação, que tive a ocasião de fundar em 1979, quando era professor em viçosa”, acrescentou.

O cientista Adauto Lourenço também é outro nome que tem se destacado na disseminação do Criacionismo como teoria fundamentada para explicar a origem do universo. Já em 2011, ele estava refutando a teoria do Big Bang com bases científicas sólidas.

Comentando os estudos feitos pelo Dr. Russell Humphreys, Adauto expôs algumas descobertas feitas pelo pesquisador norte-americano, que resultam em provas que contradizem a teoria do Big Bang. Russel descobriu que as galáxias agrupam-se de acordo com a semelhança de seus desvios espectográficos.

"O trabalho que ele realizou a respeito disso foi fascinante, mostrando que existe a possibilidade altíssima do universo ter um centro e do centro estar muito próximo da nossa galáxia. Isso tem sido um ponto de muita discussão, principalmente no estudo feito com as galáxias, no qual 98% delas aparecem com a luz ligeiramente avermelhada. Esse desvio espectográfico pode ser interpretado como se elas estivessem se afastando de nós. Se o universo possui realmente uma direção preferencial, obviamente a teoria do Big Bang precisaria ser reformulada ou reposta. Segundo a teoria do Big Bang o universo não poderia ter uma direção preferencial", explicou o criacionista.

veja também