Parlamentares cobram posicionamento do Governo federal diante da perseguição religiosa

Presidido pela Deputada Jô Moraes - que também é presidente da Comissão - o evento teve a participação de diversos parlamentares, representantes do Governo, da sociedade civil e autoridades religiosas cristãs e islâmicas.

fonte: Guiame, com informações da ANAJURE

Atualizado: Quarta-feira, 20 Maio de 2015 as 3:30

Mesa composta por palestrantes que participaram do debate sobre liberdade religiosa, durante uma audiência Pública, na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional
Mesa composta por palestrantes que participaram do debate sobre liberdade religiosa, durante uma audiência Pública, na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional

Na última quinta-feira (14), realizou-se com a direção da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, uma audiência pública, que teve como pauta a situação dos cristãos perseguidos por grupos radicais islâmicos. A sessão atendia ao requerimento nº 24/2015, de autoria do Deputado Antônio Jácome (PMN-RN).

Presidido pela Deputada Jô Moraes - que também é presidente da Comissão - o evento teve a participação de diversos parlamentares, representantes do Governo, da sociedade civil e autoridades religiosas cristãs e islâmicas.

Um dos palestrantes convidados foi o Dr. Uziel Santana, presidente da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE), que abordou em seu discurso, a violência sofrida pelos cristãos no mundo.

Além do Dr. Uziel, outros líderes como o Pastor José Prado (Missão Mais), Máisel Rocha (Mundo Muçulmano) e Jihad Hassan Hammadeh (União Nacional Islâmica) também participaram da sessão, o qual aproveitou a oportunidade para expressar o seu repúdio e também do Conselho de Ética da União Nacional Islâmica (UNI) ao atos de violência e terrorismo realizado em nome do extremismo religioso.

O líder islâmico também se dispôs a contribuir com as demais religiões brasileiras - em especial os cristãos - com o intuito de comprovar que "sabem viver pacífica e harmoniosamente com outros segmentos religiosos".

Uziel Santana também destacou o trabalho realizado em nível nacional e internacional pela ANAJURE, visando preservar a liberdade religiosa - causa que é uma das principais bandeiras institucionais da entidade.

O jurista afirmou que tem trabalhado para que o termo "genocídio" seja usado em discursos proferidos nas Nações Unidas sobre a situação de cristãos em países como Iraque e Síria. Atualmente é comum o uso do termo "perseguição" para abordar estes assuntos.

Segundo Uziel, o Governo brasileiro também poderia usar sua influência no relacionamento com países que são violadores das liberdades religiosas, como Paquistão, Coréia do Norte, China, Irã e Nigéria para lutar pela preservação de um direito humano tão precioso como a liberdade de crença.

Frente Parlamentar Evangélica
Presidente da Frente Parlamentar Evangélica (FPE), o deputado João Campos afirmou que "o governo brasileiro apenas cumpre protocolos, sendo omisso e não exercendo com firmeza a influência que tem economicamente", complementando as declarações de Uziel Santana.

O deputado ainda citou a negligência do governo com relação aos milhões de cristãos que são assassinados / executados sem qualquer apoio ou mecanismo de defesa jurídica que trabalhe em favor destes.

 

veja também