Pastores e membros fazem aulas de tiro para defesa pessoal nos EUA

O ataque que matou 9 membros da igreja Emanuel African Methodist Episcopal, na Carolina do Sul (EUA), está reforçando esse sentimento em alguns dos cristãos, que acreditam na necessidade do porte de armas durante os cultos.

fonte: Guiame, com informações de Religion News Service

Atualizado: Terça-feira, 23 Junho de 2015 as 9:03

Depois da teoria, os alunos vão para aulas práticas no campo de tiro na escola de Peabody.
Depois da teoria, os alunos vão para aulas práticas no campo de tiro na escola de Peabody.

 

Há sete anos, Geof Peabody – proprietário e instrutor de uma escola de tiros – ensina os colegas da igreja a manusear armas. Ele explica que o interesse em aprender sobre os tiros tem crescido entre os fiéis, pois sentem a necessidade de estarem preparados nos casos de ataques.

O ataque que matou 9 membros da igreja Emanuel African Methodist Episcopal, na Carolina do Sul (EUA), está reforçando esse sentimento em alguns dos cristãos, que acreditam na necessidade do porte de armas durante os cultos.

Dylann Roof, o jovem branco de 21 anos, abriu fogo contra os membros da Emanuel, depois de estar com o grupo de estudos bíblicos por cerca de uma hora antes de atirar.

"Precisamos de proteção", disse Debbie Caudle, membro da igreja Green Valley Community, na Califórnia. "As pessoas que passam por aulas devem obter licenças para carregar uma arma. Sinto que precisamos disto em nossas vidas. Precisamos disso na igreja e em nossos negócios."

Caudle está nas aulas para iniciantes no manuseio de armas. "Eu nunca tinha segurado uma arma antes em minha vida, e eu queria estar confortável com isso", disse ele.

Em uma sala de aula, Peabody ensina seus alunos sobre segurança. Em seguida, os alunos vão para aulas práticas no campo de tiro. Segundo o professor, o objetivo da aula é não só aprender a atirar, mas também saber como parar um atirador.

"Uma pessoa que passa por essas aulas, ainda que nunca pegue em outra arma em sua vida, podem interferir em um tiro de revólver ou uma semi-automática e fazer parar de funcionar", disse Peabody.

Peabody já treinou mais de 400 membros, mas mesmo dentro de suas igrejas nem todos são favoráveis ​​à ideia de pessoas portarem armas na igreja. "Muitas pessoas têm um problema com alguém no ministério - ou mesmo um cristão em geral - que não tem nada a ver com armas de fogo. As armas de fogo são apenas armas de fogo, o que pode ser feito com elas é que é o problema", disse o pastor Dominic Triveri.

Os membros dizem que a ideia não é que todos tenham armas na igreja. No entanto, quanto mais eles sabem sobre as armas, mais preparados estarão para responder à violência armada.

veja também