Patrícia Abravanel: "Acho a igreja evangélica aqui no Brasil muito cheia de regras"

Filha de Silvio Santos, a apresentadora falou sobre suas experiências de fé e destacou o tempo que frequentou a Igreja como uma oportunidade de aprendizado, mas sem uma completa identificação.

fonte: Guiame, com informações da TPM

Atualizado: Quarta-feira, 20 Maio de 2015 as 10:50

Patrícia Abravanel é apresentadora do programa "Máquina da Fama", no SBT e apontada como a possível 'sucessora' do pai, Silvio Santos, em diversas funções do comunicador.
Patrícia Abravanel é apresentadora do programa "Máquina da Fama", no SBT e apontada como a possível 'sucessora' do pai, Silvio Santos, em diversas funções do comunicador.

Apesar de ser apontada por muitos como uma 'dondoca', ela afirma que não tem nada ver com este perfil. Filha do apresentador / empresário Sílvio Santos e possivelmente a sucessora do pai em diversas áreas, Patrícia Abravanel concedeu recentemente uma entrevista à revista 'TPM', em um dia de gravação do programa, 'Máquina da Fama' apresentado por ela no SBT.

Temas diversos como profissão, infância e até mesmo sua fé entraram em pauta. Durante o bate-papo, Patrícia falou sobre o seu casamento com Phillipe Carrasco, filho dos pastores e fundadores da Igreja Vida Nova - a qual frequentou em São Paulo (SP).

O casamento durou sete anos e Patrícia citou a época em que frequentou a Igreja como um "tempo de aprendizado", mas revelou que não se identificou com algumas características da vida na Comunidade.

"Foi um tempo muito bom. Uma oportunidade de sair da bolha e enxergar as necessidades do outro. Mas, acho a igreja evangélica aqui no Brasil muito cheia de regras. Não frequento mais."

Sequestro
A fé da apresentadora também entrou em pauta, quando tocou-se no assunto do sequestro que sofreu em São Paulo, passando sete dias em cativeiro. Patrícia citou o caso como uma "experiência de fé".

"No sequestro eu tive uma experiência de fé muito forte. Fiquei firme e em paz porque tinha certeza de que iria sair bem. E não teve nada de síndrome de Estocolmo, como foi falado na época. As pessoas acharam isso só porque declarei que havia perdoado os sequestradores. E perdoei mesmo. Perdoar faz bem para quem perdoa. Óbvio que fiquei com medo, mas imagina ficar amarga por causa disso? Deus me livre", afirmou.

Pastora?
Apesar das declarações da filha sobre a Igreja, Silvio Santos afirmou que Patrícia tem talento não apenas para a televisão, mas também para o púlpito cristão.

"Patrícia na televisão é muito mais do que eu esperava. Ela vai fazer nome. Tem um bom futuro na TV e também vai ser política, porque gosta e agora tem até um marido político. Quando tiver uns 50 anos, vai ser pastora, porque está na alma dela", declarou.

Pós-modernidade
As declarações de Patrícia Abravanel sobre a Igreja Evangélica no Brasil não deveriam causar exatamente um escândalo na opinião dos cristãos dos dias atuais.

Além de cometer o erro da generalização - afirmando que "a igreja evangélica aqui no Brasil é muito cheia de regras" - fica no ar a dúvida sobre a quais 'regras' exatamente a apresentadora se referiu.

O que é possível encontrar atualmente, não apenas em muitas igrejas, mas também em outros setores sociais, são pessoas que têm dificuldade de lidar com a verdade, a exortação e o pastoreio de fato.

Há de se reconhecer que diversas comunidades cristãs acabam até mesmo por agir incoerentemente com relação à Bíblia quando cria 'regras' extremamente específicas e não conseguem nem mesmo justificar seu sentido com embasamento nas Escrituras Sagradas.

Porém, há também comunidades cristãs que cumprem o seu papel conciliador e não negociam princípios bíblicos para simplesmente se "amoldar" ao contexto pós-moderno.

veja também