Primeiro suspeito é identificado por dedo que caiu após explosão, em Paris

Um pedaço do dedo de Omar Ismail Mostefai foi localizado na casa de shows Le Bataclan. Os investigadores usaram suas impressões digitais para chegar a sua identidade.

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Segunda-feira, 16 Novembro de 2015 as 10

Foi o mais mortífero na Europa desde os atentados a bomba em Madri, em 2004. (Foto: Reuters)
Foi o mais mortífero na Europa desde os atentados a bomba em Madri, em 2004. (Foto: Reuters)

Por meio de um pedaço de dedo a polícia francesa identificou um dos autores dos ataques que deixaram pelo menos 129 mortos e 350 feridos em Paris — Omar Ismail Mostefai, de 29 anos, cidadão francês de origem argelina. 

Um pedaço de seu dedo foi localizado na casa de shows Le Bataclan, onde 80 pessoas morreram. Os investigadores teriam usado suas impressões digitais para chegar a sua identidade.

Seis pessoas próximas a ele foram presas na manhã de sábado e Mostefai morreu em um atentado suicida.

Ele era da cidade de Courcouronnes, que fica a 25 km ao sul de Paris. Ele morou na vizinha Chartres até 2012, de acordo com o vice-prefeito Jean-Pierre Gorges. O suspeito frequentava a mesquita de Luce, perto de Chartres.

Mostefai tinha um histórico de crimes leves, mas nunca havia sido preso. Os serviços de segurança suspeitam que tenha se radicalizado em 2010, mas nunca o implicaram em investigações de contraterrorismo. A polícia está tentando descobrir se ele viajou para a Síria em 2014.

O pai dele, irmão e cunhada estão entres as seis pessoas ligadas a ele que teriam sido detidas pela polícia. "É louco, uma loucura. Eu estava em Paris na noite passada (sexta), eu vi a bagunça que foi", disse o irmão mais velho de Mostefai à agência de notícias AFP antes de ser detido.

Ele disse que não tinha contato com seu irmão há vários anos por causa de uma disputa na família, mas que estava surpreso de saber que ele havia se radicalizado.

Ataque

O presidente da França, François Hollande, impôs estado de emergência após o pior ataque à França desde a 2ª Guerra Mundial. Foi o mais mortífero na Europa desde os atentados a bomba em Madri, em 2004.

O grupo autodenominado "Estado Islâmico" assumiu a autoria do ataque e disse que eles eram uma reação ao envolvimento da França em ataques aéreos contra o grupo na Síria e no Iraque.

veja também