Proibição de comercial de ‘Deus Não Está Morto’ inspira empresas a doarem anúncios ao filme

O anúncio que faria a divulgação do filme foi rejeitado nos EUA por ser considerado “muito provocativo”. Para contrariar a censura, empresas cederam mais de 20 cartazes gratuitamente para promover o longa no país.

fonte: Guiame, com informações de Christian Examiner

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2016 as 11:52

O anúncio inclui a mensagem: "Eu prefiro ficar do lado de Deus e ser julgada pelo mundo, do que ficar do lado do mundo e ser julgada por Deus”. (Foto: Divulgação)
O anúncio inclui a mensagem: "Eu prefiro ficar do lado de Deus e ser julgada pelo mundo, do que ficar do lado do mundo e ser julgada por Deus”. (Foto: Divulgação)

O banner que faria a divulgação do lançamento do DVD do filme “Deus Não Está Morto 2” foi rejeitado na região central de Cleveland, no estado norte-americano de Ohio. O impedimento veio pela empresa que faz a publicidade na região, que considerou a mensagem “muito provocativa”.

No entanto, para a surpresa dos produtores do filme e da empresa que rejeitou a mensagem cristã, outros pontos comerciais dos Estados Unidos doaram seus espaços de anúncio para incluir o mesmo banner que antes foi rejeitado.

Mais de 20 cartazes foram cedidos gratuitamente para promover as novas plataformas do longa. "As empresas de anúncio se levantaram e disseram: 'Nós apoiamos vocês e sua mensagem, e nós queremos presentear vocês com um outdoor’”, disse ao site Christian Examiner o fundador da produtora Pure Flix, David White.

O banner pretendia incluir uma foto da atriz Melissa Joan Hart, protagonista do filme, junto com a mensagem: "Eu prefiro ficar do lado de Deus e ser julgada pelo mundo, do que ficar do lado do mundo e ser julgada por Deus”, dita pela personagem Grace Wesley no longa.

A negociação da divulgação do DVD estava sendo feita entre a Pure Flix e a Orange Barrel Media, responsável pela publicidade na cidade. Ao final da conversa, que durou algumas semanas, o banner de 18x9 cm foi rejeitado.

Representantes da Orange Barrel Media consideraram a frase "julgada por Deus" muito “política e provocativa”, de acordo com o site The Hollywood Reporter. A empresa ainda afirmou que o título do filme é problemático. A publicidade custaria cerca de US$ 64 mil.

Para White, as empresas tomaram a atitude de apoiar o filme por zelarem pela liberdade de expressão na América. "Mesmo eles sendo cristãos ou não, eles ainda mantêm os princípios sobre os quais o nosso país foi fundado, e querem apoiar isso. Que Deus os abençoe. Precisamos de mais pessoas assim", disse ele.

"As pessoas achavam que nós éramos loucos por trazer essas questões em um filme. Mas esse caso do anúncio é um exemplo perfeito de como [a perseguição religiosa] existe e está acontecendo em nossa sociedade hoje", acrescentou White.

Deus Não Está Morto 3

O produtor adiantou que o filme “Deus Não Está Morto 3” está em construção, embora as filmagens ainda não tenham sido iniciadas.

"Ainda estamos trabalhando no roteiro", disse White. “Nós estamos esperando para lançar o longa no próximo ano, mas pode ser também que isso aconteça em 2018. Nós não temos 100% de certeza".

veja também