Projeto de lei impede que transexuais usem banheiros públicos conforme sua 'identidade de gênero'

Tem havido preocupação, especialmente entre os conservadores, sobre a permissão a uma pessoa que 'se identifica' como mulher - mas biologicamente é do sexo masculino - de usar o banheiro das mulheres. Isto poderia aumentar os casos de abusos sexuais.

fonte: Guiame, com informações do Huffington Post

Atualizado: Quinta-feira, 18 Fevereiro de 2016 as 11:55

Um projeto de lei que proibiria estudantes transexuais, do ensino público de usar os banheiros das escolas conforme sua 'identidade no gênero' foi aprovado pelo Senado de Dakota do Sul.
 
Segundo o site 'Thenewcivilrightsmovement.com' informou, o projeto de lei aprovado após uma votação de 20 a 15. Agora, o projeto precisará passar pela aprovação do governador do Estado, o republicano Dennis Daugaard.
 
O projeto de lei, conhecido como HB 1008, "ressalta que os estudantes devem as instalações [como banheiros e vestiários], correspondentes com a sua condição física [masculina ou feminina]", conforme determinadas biologicamente e identificadas no nascimento e "não conforme o gênero com o qual se identificam", de acordo com o Huffington Post.
 
O Gov. Daugaard "disse que a medida parece ser uma boa ideia e planeja pesquisar sobre o problema e ouvir depoimentos gravados antes de aprovar o projeto de lei".
 
Se a lei for aprovada por Daugaard, Dakota do Sul se tornaria o primeiro estado a fazer oficilizar tal lei.
 
Tem havido preocupação, especialmente entre os conservadores, sobre a permissão a uma pessoa que 'se identifica' como mulher - mas biologicamente é do sexo masculino - de usar o banheiro das mulheres. Isto poderia representar um perigo para as outras mulheres que fazem uso das instalações, uma vez que estuprador poderia se disfarçar de transexual para entrar nesses lugares e cometer abusos.
 
No entanto, muitos outros condenaram o projeto de lei recente como uma medida 'intolerante' e 'um fracasso para a luta pela igualdade'.

"Esta lei fere os alunos transexuais, tira o controle das escolas locais, e não resolve todos os problemas. Na verdade, ele faz mais mal do que bem para ambas as crianças trans e para a reputação da Dakota do Sul", disse a diretora executiva do Centro Nacional de Igualdade Transgênero, Mara Keisling, em um comunicado.
 
Muitos usuários do Twitter também condenaram o projeto de lei e lançaram uma campanha para pedir ao Gov. Daugaard não aprove o projeto.

veja também