Roberto de Lucena lembra que novo presidente da Câmara precisa ter a 'ficha limpa'

O deputado federal cristão e pastor Roberto de Lucena (PV/SP) aproveitou a oportunidade de seu discurso no plenário da Câmara para falar sobre o momento decisivo que a política brasileira vive, sobretudo às vésperas desta votação para o novo presidente da Casa.

fonte: Guiame, com informações da Assessoria de Imprensa

Atualizado: Terça-feira, 12 Julho de 2016 as 3:51

Roberto de Lucena é pastor da Igreja O Brasil para Cristo, deputado federal pelo PV / SP e integrante da Frente Parlamentar Evangélica. (Foto: Antônio Barbosa / CD)
Roberto de Lucena é pastor da Igreja O Brasil para Cristo, deputado federal pelo PV / SP e integrante da Frente Parlamentar Evangélica. (Foto: Antônio Barbosa / CD)

Após deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ) renunciar à presidência da Câmara, o presidente interino Waldir Maranhão (PP/MA) estabeleceu - junto a outros líderes partidários - a data da eleição do novo ocupante da cadeira de Presidente da Casa. A votação acontecerá na noite da próxima quarta-feira (13).

Na última seguinda-feira (11), o deputado federal cristão e pastor Roberto de Lucena (PV/SP) aproveitou a oportunidade de seu discurso no plenário da Câmara para falar sobre o momento decisivo que a política brasileira vive, sobretudo às vésperas desta votação.

“É muito importante que aqueles que colocarem os seus nomes, aqueles que se dispuserem a essa missão, a esse desafio tenham a consciência de o fazerem observando a condição de não terem qualquer tipo de pendência judicial ou de suspeição que sobre eles pese, a fim de que o olhar da sociedade para esta Casa não seja questionador”, afirmou.

A sessão deliberativa acontecerá com votação secreta e começará às 16h. Dez deputados já apresentaram oficialmente suas candidaturas até o momento.

“É preciso que a Câmara dos Deputados cumpra o seu papel no momento em que precisamos empreender uma transição importante diante da crise política e econômica instalada e que vem sendo vencida poupo a pouco. Por isso, espera-se essa altivez, espera-se essa capacidade de análise, de comprometimento com a instituição e com o Brasil daqueles que têm envergadura e disposição de colocar o seu nome”, disse.

Apoiador das 10 Medidas Contra a Corrupção e também da Operação Lava Jato, Lucena afirmou é necessário que os crimes de corrupção, sejam punidos com mais rigidez.

“Todos os dias a sociedade brasileira é surpreendida com sucessivos escândalos de corrupção, que escandalizam todas as pessoas honestas e trabalhadoras deste país. A falta de respeito com a coisa pública, bem como com os recursos provenientes do trabalho de todos os brasileiros, alastrou-se como um câncer, envolvendo desde os altos escalões do governo federal até autoridades municipais que fiscalizam as atividades diárias do cidadão”, destacou.

As 10 Medidas Contra a Corrupção são fruto de um trabalho realizado em nível nacional pelo Ministério Público Federal (MPF), com o apoio dos Ministérios Públicos de cada estado.

São elas:

1 – Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação

2 – Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos

3 – Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores

4 – Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal

5 – Celeridade nas ações de improbidade administrativa

6 – Reforma no sistema de prescrição penal

7 – Ajustes nas nulidades penais

8 – Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do “caixa dois”

9 – Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado

10 – Recuperação do lucro derivado do crime.

veja também