Roberto de Lucena se opõe à legalização dos jogos de azar: "Inteiramente contra"

Com um Projeto de Lei já apresentado para proibir os jogos de azar no Brasil (PL 5782/16), o deputado federal Roberto de Lucena (PV - SP) tem contestado fortemente quais seriam os benefícios da legalização da jogatina no Brasil.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Terça-feira, 2 Agosto de 2016 as 6:04

Roberto de Lucena é pastor da Igreja O Brasil para Cristo, deputado federal pelo PV / SP e integrante da Frente Parlamentar Evangélica. (Foto: Divulgação)
Roberto de Lucena é pastor da Igreja O Brasil para Cristo, deputado federal pelo PV / SP e integrante da Frente Parlamentar Evangélica. (Foto: Divulgação)

Na última sexta-feira (26), foram destruídas quase 300 máquinas caça-níqueis apreendidas durante a operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), em Sorocaba (SP). Segundo os oficiais, todas as máquinas estavam adulteradas, fazendo com que os jogadores não ganhassem de forma alguma.

O Grupo explicou que destruir os equipamentos dá a certeza de que eles não voltarão a ser utilizados em bingos e casas de jogos de azar.

"As máquinas eram programadas para o jogador perder sempre. Uma ou outra vez ele ganhava um valor pequeno ser incentivado para jogar mais", disse Antonio Farto Neto, promotor do Gaeco.

O Ministério Público apurou o caso e informou que as máquinas eram parte de um esquema que chegava a movimentar mais de R$ 9 milhões por mês. Cada máquina rendia, em média R$ 30 mil por para os donos dos cassinos clandestinos da cidade de Sorocaba.


Reação
Com um Projeto de Lei já apresentado para proibir os jogos de azar no Brasil (PL 5782/16), o deputado federal Roberto de Lucena (PV - SP) comentou a notícia em sua página oficial do Facebook, usando-a como exemplo de um dos males advindos da jogatina.

"Me recuso a coadunar com essa contravenção legal, apoiando os projetos dentro do Congresso que buscam a legalização dos jogos de azar no Brasil! Vejam o porquê: em Sorocaba um grupo foi preso com 300 caça-níqueis, chegando a movimentar mais de R$ 9 milhões por mês ilegalmente. Todas as máquinas eram configuradas para que o jogador sempre perdesse as apostas!", alertou.

O parlamentar cristão também questionou se haveria algum fator positivo para o crescimento econômico do Brasil, com a legalização dos jogos de azar.

"Em que isso irá contribuir para o desenvolvimento econômico do nosso país? Sou completamente contra e apresentei uma proposta na Câmara Federal justamente para proibir jogatinas em território nacional", finalizou.

veja também