"Não há coincidências para Deus", diz ator de 'A Paixão de Cristo' sobre milagres

Jim Caviezel destacou que "só ateus acreditam em coincidências", quando se fala em milagres como o da ressurreição de Jesus e revelou que quer participar da sequência de "A Paixão de Cristo".

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 3 Maio de 2017 as 10:02

Jim Caviezel fez o papel de Jesus no sucesso "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson. (Imagem: Youtube)
Jim Caviezel fez o papel de Jesus no sucesso "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson. (Imagem: Youtube)

O ator Jim Caviezel, mais conhecido por fazer o papel de Jesus no épico de Mel Gibson, "A Paixão do Cristo" (2004), disse que "só os ateus acreditam em coincidências" e que alguns até negariam a ressurreição de Cristo dentre os mortos.

Caviezel conversou com o jornalista polaco e crítico de cinema Lukasz Adamski em uma entrevista e abordou uma série de temas diferentes sobre sua fé cristã (católica) e sua carreira cinematográfica.

Adamski lembrou que quando Caviezel desempenhou o papel de Jesus, ele tinha 33 anos de idade, e suas iniciais também são J.C.

"Não me diga que foi uma coincidência. Não há coincidências. Continuo ouvindo sobre acidentes e lances de sorte. A secularização afeta o mundo inteiro, inclusive os EUA. Só os ateus acreditam em coincidências", respondeu o ator.

Caviezel também explicou que a falta de fé de muitas pessoas têm refletido na análise dos fatos bíblicos, mas destacou que Deus é poderoso e para Ele nada acontece por acidente.

"Não há coincidências para Deus, mesmo quando Deus ressuscita os mortos, eles dirão que aconteceu por acidente", destacou.

O ator acrescentou que, como qualquer cristão, às vezes ele foi relutante com relação à fé, mas observou que ao longo de sua carreira e os diferentes papéis que desempenhou, ele nunca se esquece do nome de Jesus.

"Ele foi o amor encarnado. Jesus estava falando aos romanos sobre o amor e eles O mataram por causa disso. 'Quem é esse homem para me dizer que tipo de pessoa eu devo ser?', perguntaram eles com arrogância. Ele foi traído por seu próprio povo e abandonado por todos", acrescentou.

"Meu dever não era apenas mostrar tudo na tela, meu dever real é viver de acordo com o Evangelho todos os dias e dar testemunho da verdade".


Sequência
Falando sobre suas esperanças para o futuro, Caviezel observou que gostaria de fazer parte da sequência de "A Paixão de Cristo" planejada por Gibson, que seguirá as histórias do Evangelho após a ressurreição.

"Eu quero trabalhar com Gibson novamente. Esta vez será um filme sobre a ressurreição. Se 'A Paixão de Cristo' inspirou tantas pessoas a fazer o bem, por que não tentar de novo? Eu sinto que há um propósito em minha vida novamente para isso", disse ele.

veja também