Suspeito confessa crime depois de se converter: "Aceitei Jesus e estou muito arrependido"

Herculano, mais conhecido como "padeiro", fez parte da quadrilha que roubou R$ 375 mil da agência e foi apontado como participante do sequestro de familiares de um gerente do banco.

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Terça-feira, 1 Dezembro de 2015 as 4:09

Diante dos oficiais, o empresário cearense Herculano Martins Alves, de 39 anos, disse que se arrependeu.  (Foto: Adneison Severiano/ G1 AM)
Diante dos oficiais, o empresário cearense Herculano Martins Alves, de 39 anos, disse que se arrependeu. (Foto: Adneison Severiano/ G1 AM)
Um dos suspeitos de participar do assalto a uma agência bancária em Iranduba, interior do Amazonas, em maio deste ano, se apresentou na delegacia nesta segunda-feira (30) para confessar o crime. Diante dos oficiais, o empresário cearense Herculano Martins Alves, de 39 anos, afirmou: "Aceitei Jesus e estou muito arrependido". 
 
Herculano, mais conhecido como "padeiro", estava preso desde 5 de setembro no Ceará, onde residia. Além de fazer parte da quadrilha que roubou R$ 375 mil da agência, ele foi apontado como participante do sequestro de familiares de um gerente do banco.  

O empresário confessou participação no crime, mas afirmou que esse foi o primeiro assalto a banco que participou. Herculano contou que recebeu o convite do conterrâneo Lerivelton Maia Silva, de 47 anos, dez dias antes do assalto durante visita dele ao irmão que reside em Manaus. Ele disse ainda que recebeu uma quantia de R$ 25 mil para participar do assalto.

"Esse dinheiro eu usei com bebidas, prostituição e de maneira errada. Antes de se apresentar no Ceará há dois meses, eu aceitei Jesus. Por isso me apresentei por livre e espontânea vontade. Confessei minha participação. Estou colaborando com a Justiça", comentou o cearense.

Além de ser alvos de processos criminais por assalto a banco, Herculano já responde por receptação e porte ilegal de arma de fogo. No entanto, ele conta que está arrependido. "Estou profundamente arrependido do que fiz. Eu deixei uma família sofrendo muito. O crime não compensa", afirmou Herculano, que será indiciado roubo majorado e sequestro.

A Polícia Civil do Amazonas continua investigando para localizar e prender o último integrante da quadrilha, que já teria cometido 29 assaltos a bancos no Nordeste do país. Segundo o delegado adjunto da DERFD, Denis Pinho, o homem já foi identificado. 

Até o momento nenhuma quantia de dinheiro dos R$ 375 mil foi recuperada pela polícia.

Assalto
O crime ocorreu no dia 29 de maio deste ano. Segundo a polícia, o gerente e o vigilante da agência teria saído do trabalho por volta das 19h de quinta-feira (28). Ele foi abordado por dois homens após o pneu do carro em que ele estava secar, no km 6 da estrada de Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus. A dupla teria oferecido ajuda e, em seguida, anunciado o assalto. Os suspeitos chegaram a fazer familiares do gerente reféns para forçar o homem a ir à agência.

No dia seguinte, os homens chegaram ao banco por volta de 9h, fizeram outros funcionários e clientes de reféns. Em seguida, os suspeitos fugiram no carro do funcionário e atearam fogo ao veículo depois de abandoná-lo. Parte do grupo fugiu pelo Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes. Dois dos integrantes são amazonenses.

veja também