Técnico de futebol americano é pressionado por ateus a evitar orações em campo

A prática de orar o Pai Nosso depois dos jogos trouxe incômodo à uma organização ateísta, que está reunindo esforços para barrar a liberdade religiosa.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 17 Agosto de 2016 as 2:26

EMCC Lions é o time da faculdade East Mississippi Community. (Foto: Facebook/East Mississippi Community College)
EMCC Lions é o time da faculdade East Mississippi Community. (Foto: Facebook/East Mississippi Community College)

Uma das maiores organizações ateístas dos Estados Unidos está reunindo esforços para pressionar o treinador de uma equipe universitária de futebol a parar de finalizar os jogos com uma oração.

O time da faculdade East Mississippi Community, que foi apresentado pela Netflix na série "Last Chance U", tem sido alvo da Freedom From Religion Foundation (Fundação Livre de Religião). A entidade afirma que o treinador da equipe, Buddy Stephens, é “dominador” e "põe em questão se a participação dos jogadores tem sido voluntária".

A equipe “EMCC Lions” foi apresentada pela Netflix na frustrada busca da quarta posição no Campeonato Nacional de Futebol, promovido pela Associação Atlética de Faculdades, em 2015. Em diversas cenas da série, Stephens é registrado conduzindo sua equipe na oração do Pai Nosso.

Stephens não foi o único a liderar as orações. Um episódio da série mostrou o assistente técnico, Marcus Wood, conduzindo uma oração antes de um jogo. Outro episódio começou com Wood segurando uma Bíblia e lendo um versículo do livro de Jó. A organização ateísta conta que Wood também liderava estudos bíblicos semanais para os jogadores.

O advogado da entidade ateísta, Sam Grover, exigiu que a escola superior garantisse que nenhuma atividade religiosa voltaria a acontecer dentro do local, em uma carta enviada na última quarta-feira (10) ao presidente da faculdade, Thomas Huebner.

Grover argumentou que a aprovação do cristianismo dos treinadores viola a Cláusula de Estabelecimento da Primeira Emenda.

"Ainda que as orações e estudos bíblicos fossem estritamente voluntárias, o fato não altera a inconstitucionalidade da prática”, argumenta Grover em sua carta, que pedia uma resposta da faculdade sobre o acontecimento. No entanto, a escola superior ainda não deu respostas.

Em um e-mail enviado ao site The Christian Post nesta terça-feira (16), o treinador Stephens disse que a escola não planeja emitir uma declaração pública sobre a carta dos ateus.

A polêmica das orações da equipe EMCC acontecem depois que o treinador de futebol da escola Bremerton High School, Joe Kennedy, foi demitido por orar no campo de joelhos, depois dos jogos.

veja também