Tensões aumentam em Israel durante o Yom Kippur, o Dia do Perdão judaico

Recentemente, Jerusalém foi palco de tumultos no Monte do Templo. Houve, também, duas tentativas de ataques terroristas em locais separados na cidade de Hebrom, na noite de segunda (21) e na manhã desta terça-feira.

fonte: Guiame, com informações de The Jerusalem Post

Atualizado: Terça-feira, 22 Setembro de 2015 as 5:32

Em Jerusalém, o Yom Kippur foi marcado para começar às 18:01 de terça-feira.
Em Jerusalém, o Yom Kippur foi marcado para começar às 18:01 de terça-feira.

 

Forças de segurança israelenses estão em alerta máximo nesta terça-feira (22) devido ao ajuntamento dos judeus para o Yom Kippur (Dia do Perdão), um dos dias mais sagrados do calendário judaico. O Dia da Expiação acontece em meio a aumento de conflitos em Israel.
 
Recentemente, Jerusalém foi palco de tumultos no Monte do Templo. Houve, também, duas tentativas de ataques terroristas em locais separados na cidade de Hebrom, na noite de segunda (21) e na manhã desta terça-feira.
 
Um homem palestino foi morto enquanto segurava uma granada, que seria lançada contra os soldados israelenses próximo a Hebrom. No entanto, o projétil foi detonado prematuramente ainda em suas mãos. Uma investigação inicial descobriu que o suspeito, Diyaa Talahma, tinha 23 anos de idade e era um agente da Jihad Islâmica. Seu irmão está mantido em detenção administrativa em Israel.
 
Ainda em Hebrom, na manhã da terça-feira, uma jovem palestina de 18 anos tentou esfaquear soldados que estavam na guarda das fronteiras israelenses e palestinas. Os soldados abriram fogo, atingindo a suspeita na parte inferior de seu corpo. Nenhum soldado foi ferido no incidente.
 
Autoridades do 'Israel Defense Forces' (IDF) tem se preparado para garantir a segurança de milhares de judeus que estarão no Muro das Lamentações durante o Yom Kippur. "Milhares de policiais estarão em Jerusalém", disse o porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld.
 
Além disso, o IDF bloqueou as movimentações em Israel desde a Judéia e a Samaria até as fronteiras de Gaza desde o meio-dia desta terça-feira até um minuto antes da meia-noite de quarta-feira (23). O bloqueio é uma precaução de segurança anual, e segue uma ordenança de Moshe Ya'alon, Ministro de Defesa.
 
O Yom Kippur também coincide, este ano, com o feriado islâmico do Id al-Adha na quarta-feira. Enquanto Yom Kippur é um dia de solenidade, jejum e introspecção, o Id al-Adha (Festa do Sacrifício) é um dia de celebração, que marca a disposição de Abraão em sacrificar seu filho Ismael, muitas vezes envolvendo o abate de ovinos para comer nas refeições. Na tradição islâmica, Abraão ofereceu a Deus o seu filho Ismael, ao passo que a Bíblia registra Isaque como alvo de seu sacrifício. 
 
Em Jerusalém, o Yom Kippur foi marcado para começar às 18:01 de terça-feira e terminará às 19:11 de quarta-feira. 

veja também