Terrorista sírio teria fugido para o Brasil, alerta companhia aérea

Jihad Ahmad Deyab cumpriu pena na prisão de Guantánamo e havia sido acolhido pelo Uruguai como refugiado. O alerta sobre a vinda do extremista para o Brasil tem base em informações da Divisão Antiterrorismo da Polícia Federal.

fonte: Guiame, com informações do Extra (Globo)

Atualizado: Segunda-feira, 4 Julho de 2016 as 9:25

Terrorista do Estado Islâmico, Jihad Ahmad Deyab, estaria no Brasil, segundo divisão antiterrorismo da Polícia Federal. (Foto: Extra)
Terrorista do Estado Islâmico, Jihad Ahmad Deyab, estaria no Brasil, segundo divisão antiterrorismo da Polícia Federal. (Foto: Extra)

A companhia aérea Avianca emitiu um alerta de que terrorista sírio Jihad Ahmad Deyab pode ter fugido para o Brasil. O combatente é ex-presidiário de Guantánamo (presídio norte-americano, contruído em Cuba) e foragido do Uruguai - onde tinha sido acolhido como refugiado - há duas semanas.

A Avianca confirmou a veracidade do comunicado ao site Extra (Globo.com). A empresa explicou que o comunicado consiste em um procedimento “habitual” para mostrar que que a companha está disposta colaborar com as autoridades.

Segundo a companhia aérea, o alerta tem como base, informações repassadas pela própria divisão antiterrorismo da Polícia Federal - a qual deve ser notificada imediatamente, caso haja novas informações sobre o paradeiro do terrorista no Brasil.

Com 45 anos de idade, Jihad estaria usando documentação falsa - provavelmente de origem marroquina, síria ou jordaniana - para se manter em território brasileiro. Seu passaporte oficial teria sido expedido no Uruguai. O terrorista também teria aparente 'dificuldade de locomoção', utilizando muletas e dificuldades para falar português.


Histórico
Jihad foi membro da organização criminosa Al Qaeda e serviu em operações terroristas na África, além de ter atuado como recrutador na Europa. Após sua prisão em Guantánamo, o terrorista foi levado em 2014, junto a outros seis detentos, para o Uruguai, onde todos foram acolhidos como refugiados.

Sua esposa, Usra al-Hussein, chegou a ser presa na Síria, em julho de 2008, mas foi liberada em 22 de julho de 2009, segundo informações da Anistia Internacional. Seu paradeiro atual, no entanto, é oficialmente desconhecido.


Recrutador brasileiro
A presença do terrorista sírio em solo brasileiro vem acrescentar preocupações diante do quadro de ameaças terroristas que o país vem vivendo. A atenção dos investigadores tem se intensificado com a proximidade dos jogos olímpicos deste ano (2016).

Conforme a revista portuguesa Sábado e a VEJA, o terrorista que se identifica como Ismail Abdul Jabbar Al-Brazili tem sido investigado. Ele seria o responsável pelo recrutamento de brasileiros para o Estado Islâmico.

"A disseminação de ideário radical salafista entre brasileiros, aliada às limitações operacionais e legais em monitorar suspeitos e à dificuldade de neutralizar atos preparatórios de terrorismo, aponta para o aumento, sem precedentes no Brasil, da probabilidade de ocorrência de atentados ao longo de 2016, especialmente por ocasião dos Jogos Rio 2016", diz o relatório da Abin.

 

veja também