Turquia é condenada a indenizar famílias de cristãos torturados e mortos

Em 2007, três homens foram interrogados sobre suas atividades cristãs e, em seguida, foram brutalmente assassinados.

fonte: Guiame, com informações de Christian Telegraph

Atualizado: Sexta-feira, 5 Fevereiro de 2016 as 11:45

Recep Tayyip Erdoğan, presidente da Turquia. (Foto: Reuters/ Umit Bektas)
Recep Tayyip Erdoğan, presidente da Turquia. (Foto: Reuters/ Umit Bektas)

O Tribunal de Malatya, cidade da Turquia, determinou na semana passada que o governo do país foi negligente em seu dever de proteger três cristãos que foram torturados e mortos em 2007.

O Estado terá que pagar às famílias das vítimas uma indenização no valor de 1 milhão de liras (o equivalente a R$ 1.330.300).

Segundo decisão do tribunal, o Ministério do Interior e o Gabinete do Governador do Malatya ignoraram os relatórios em que nacionalistas turcos tinham como alvo Ugur Yüksel, Necati Aydin e Tilmann Geske antes de serem mortos.

No dia 18 de abril de 2007, os três homens foram interrogados sobre suas atividades cristãs e, em seguida, foram brutalmente assassinados no escritório da Editora Zirve, em Malatya.

Embora a polícia tenha detido rapidamente os cinco suspeitos, testemunhas intimadas se recusaram a depor contra eles, sem nunca serem penalizadas por desrespeito ao tribunal.

A próxima audiência está marcada para o dia 1° de março.

veja também