Umbandista é apedrejada por grupo de evangélicos em novela da Globo

Na cena de "I Love Paraisópolis", programada para ir ao ar no dia 12, Lilica (Thainá Duarte) será agredida a pedradas por um grupo de evangélicos ao voltar de seu batismo em um centro de umbanda.

fonte: Guiame, com informações de Notícias da TV

Atualizado: Segunda-feira, 5 Outubro de 2015 as 2:38

 

Lilica (Thainá Duarte) será agredida a pedradas por evangélicos. (Foto: UOL)

 

Uma cena de intolerância religiosa está marcada para ser exibida na novela das sete da Globo, "I Love Paraisópolis". Na cena, programada para ir ao ar no dia 12, Lilica (Thainá Duarte) será agredida a pedradas por um grupo de evangélicos ao voltar de seu batismo em um centro de umbanda.
 
A caminho de casa após o ritual de iniciação, Lilica aparecerá feliz acompanhada de sua mãe, Deodora (Dani Ornellas), que estará orgulhosa da filha. “Você é que tava linda, filha. Tão linda como nossa mãe Oxum”, dirá ela. Nesse momento, as duas serão abordadas por um grupo de evangélicos. “Sua macumbeira! Não tem vergonha, não? Vai pro terreiro fazer despacho e ainda leva a filha!”, gritará um deles.

A garota ficará assustada. “Quem são essas pessoas, mãe?”, perguntará. “Não diz nada, filha. Não aceita provocação”, falará Deodora, tensa. Um dos agressores berrará palavras de ordem e arremessará uma pedra na cabeça de Lilica. “Nós vamos fazer justiça, em nome de Jesus!”, falará. Deodora ficará transtornada ao ver a filha chorando, suja se sangue, e enfrentará o grupo. “Seus loucos! O que vocês fizeram com a minha filha?”

Quem irá dar um fim ao ataque será a evangélica Eva (Soraya Ravenle), que aparecerá com Paulucha (Fabiula Nascimento) para expulsar os evangélicos. “Vocês deviam limpar a boca antes de falar em Jesus. Eu sou evangélica, mas tenho vergonha de gente como vocês. Vocês não merecem ser chamados de evangélicos. Cristão de verdade não tem essa atitude covarde”, discursará.
 
Ela ainda conterá a reação explosiva da amiga Paulucha e ameaçará chamar a polícia. “Calma, Paulucha. Violência não leva a nada. Eu vou é ligar pra polícia. Intolerância religiosa é crime. No templo que eu frequento, o pastor sempre repete isso. Saiam daqui. Já!”

Após o incidente, Lilica será levada ao posto de saúde para costurar o pequeno corte na cabeça e será recebida por Eva, em sua casa. “No fundo, eu tenho pena daquela gente, sabia?”, concluirá a evangélica.
 
Crítica Tendenciosa
 
A intolerância religiosa é uma das realidades mais duras por todo o mundo. Todos os anos, milhares de cristãos são mortos, presos, expulsos de suas comunidades e moralmente humilhados em diversos países, apenas por sua fé. No entanto, ao tratar do tema, o grupo de cristãos é escolhido pela Globo para ser apresentado como opressor. 
 
A cena retrata o fato que aconteceu em julho com Kailane Campos, uma candomblecista de 11 anos que foi apedrejada na saída de um encontro religioso. O ataque foi atribuído a um grupo de evangélicos, mas foi repudiado na mídia por diversos pastores.

"Repudiamos isso, não aceitamos. Nós entendemos que a sociedade é livre para você crer no que você quiser", disse o pastor Silas Malafaia na ocasião. "Achem os culpados, metam na cadeia, mas primeiro saibam se são evangélicos ou não", afirmou.

veja também