Universidade mantém expulsão de aluno que expressou visão bíblica da homossexualidade

Felix Ngole, de 38 anos, casado e com quatro filhos, foi "convidado a sair" de seu curso na Universidade de Sheffield (Inglaterra), depois que escreveu um post no Facebook, se opondo ao casamento gay e citando a Bíblia.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 8 Abril de 2016 as 9:18

Felix Ngole. (Foto: Christian Today)
Felix Ngole. (Foto: Christian Today)

O estudante cristão que foi expulso de seu curso, em uma universidade da Inglaterra, por expressar uma visão bíblica sobre a homossexualidade perdeu sua apelação sobre a decisão.

Felix Ngole, de 38 anos, casado e com quatro filhos, foi "convidado a sair" da Universidade de Sheffield depois que escreveu um post no Facebook, se opondo ao casamento gay e citando a Bíblia. Ele estava no segundo ano de mestrado em Serviço Social.

Ele foi removido do curso depois um comitê da Universidade considerou que o seu post poderia ter "causado ofensa" para algumas pessoas. Ele citou uma passagem bíblica de Levítico sobre a homossexualidade e expressou seu apoio a Kim Davis - a tabeliã de Kentucky, que havia sido presa após se recusar a emitir licenças para casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Ngole decidiu apelar da decisão, depois que ele foi informado que estava "excluído do estudo mais aprofundado sobre um programa que conduz a uma qualificação profissional" e "não é mais reconhecido como um estudante da Universidade".

Ele foi informado pelo comitê, que seus comentários postados no Facebook "podem ​​ter ofendido alguns indivíduos" e tinham "conceitos que não são considerados adequados para alguém que quer atuar na profissão de Serviço Social".

Sua ação teria um efeito sobre a sua "capacidade de realizar um papel como um assistente social", disse o comitê.

Ngole apelou na base de que ele deve ser direcionado ao corpo profissional dos assistentes sociais, para que tal órgão decida quem é ou não adequado para se tornar um assistente social.

Ele agora foi informado pelo Gabinete de Recursos que sua postagem nas mídia sociais era "inadequada" à luz da conduta de um profissional delineado nos Conselhos de Saúde e profissões dos cuidados. Em uma carta, o Gabinete de Recursos também disse que Ngole que fez "qualquer reflexão sobre o impacto potencial de suas postagens", ou de como a profissão de assistente social pode ser percebida pelo público, baseando-se no que ele tinha postado. Por esta razão, a comissão decidiu que a sua expulsão foi "proporcional" às atitudes do estudante.

Ngole disse: "Como qualquer outro estudante na universidade, eu uso as mídias sociais para me comunicar e expressar minhas opiniões pessoais. No meus post do Facebook em questão, eu simplesmente expressei meu apoio à visão bíblica sobre o casamento e sexualidade".

"Eu não disse que todo mundo tem que concordar comigo. No entanto, eu fui advertido pela universidade sobre esses pontos de vista e eles unilateralmente decidiram cancelar a minha matrícula. Ao fazê-lo, eles acabaram com o meu treinamento para minha vocação escolhida para a vida".

Ngole, que está sendo apoiado pelo Centro Legal Cristão, está agora ponderando outras medidas.

Andrea Williams, fundador do Centro Legal Cristão, disse: "A decisão da universidade reflete uma tendência preocupante em toda a instituições de ensino superior, de censurar qualquer visão que possa ser considerada 'ofensiva".

"O Sr. Ngole já trabalhou com aqueles que se identificam como homossexuais e sempre os tratou com respeito, nunca os discriminou. Não há evidências de que as visões bíblicas de Félix teriam impactado negativamente o seu trabalho".

veja também