"Você verá Deus em um segundo", dizia o atirador de Oregon (EUA) aos cristãos, antes de matá-los

Chris Harper-Mercer foi o autor de um massacre na última quinta-feira (1º), em uma faculdade do Estado de Oregon (EUA). Segundo relatos, antes de atirar nas vítimas, o rapaz perguntava se elas eram cristãs. Se dissessem que 'sim', eram baleadas na cabeça.

fonte: Guiame, com informações do NY Post

Atualizado: Sexta-feira, 2 Outubro de 2015 as 9:06

Equipes de resgate socorrem vítimas do massacre na faculdade de Umpqua, no Estado de Oregon / EUA. (Foto: AP)

Um homem armado destacou cristãos, dizendo-lhes que iriam ver Deus em "um segundo", durante um tumulto em uma faculdade, no Estado de Oregon, na última quinta-feira (1º), que deixou pelo menos 10 pessoas mortas e 7 feridas.

"[Ele começou] a perguntar às pessoas, uma a uma, quais eram suas religiões. 'Você é cristão?', ele perguntava, e se fosse cristão, tinha que se levantar. Então ele dizia: 'Bom, como você é um cristão, vai ver Deus em apenas cerca de um segundo'. Aí ele atirava e matava", disse Stacy Boylen à CNN. Sua filha foi uma das pessoas feridas no ataque.

Um usuário do twitter nomeado @bodhilooney disse que sua avó estava na cena do massacre e deu um relato semelhante ao de Stacy. "Se as vítimas dissessem que eram cristãs, em seguida, eram baleadas na cabeça. Se elas dissessem que não, ou não respondiam, então eram baleadas nas pernas".

Apesar do atirador Chris Harper-Mercer ter demonstrado uma aparente aversão a religiões durante o ataque, foi descoberta em seu perfil online, a informação de que ele teria se tornado membro de um grupo de "religião não organizada" em um site de encontros pela internet.

Kortney Moore, de 18 anos de idade, disse que viu o professor de redação levar um tiro na cabeça em um dos salões da faculdade, antes de o atirador começar a fazer perguntas sobre religião às pessoas.

Harper-Mercer, 26, foi morto em um tiroteio com a polícia fora uma das salas de aula, segundo o xerife John Hanlin.

"Houve uma troca de tiros", disse ele. "O atirador que ameaçava a segurança das pessoas foi neutralizado".

Apesar de a polícia informar o número de mortos em 10 - incluindo Harper-Mercer, o autor dos ataques - e sete pessoas feridas, a procuradora-geral de Oregon Ellen Rosenblum Oregon disse que 13 pessoas morreram.

As pessoas estavam lutando "como formigas", quando o atirador abriu fogo em torno de 10:38 da manhã, de acordo com Brady Winder, um estudante de 23 anos de idade, natural do Estado de Portland (EUA).

"As pessoas [estavam] gritando: 'Fora!", Disse ele ao jornal 'The News-Review', acrescentando que ele viu uma garota nadando freneticamente em um riacho, para escapar da chacina.

Pelo menos 10 pessoas morreram e 7 ficaram feridas no tiroteio da última quinta-feira. (Foto: AP)

A estudante Hannah Miles estava sentada em uma sala de aula ao lado quando ouviu um estampido que soava como um tapa em um quadro, segundo ela. Todos na sala de aula dela fugiu enquanto mais tiros ressoaram.

Já a aluna Brandy Winter postou no Facebook: "Eu corri até a borda do campus, abaixo de um monte e esperei. Depois conversei com um aluno na sala de aula onde tudo aconteceu. Quase todas as pessoas na sala foram baleadas por um homem que tinha quatro armas'.

Outro estudante, Luke Rogers disse que viu sangue em uma sala de aula quando o edifício estava sendo evacuado.

"À medida que passei pela sala de aula, vi no chão, que havia gotas de sangue", disse o aluno do primeiro ano da faculdade à CNN.

Uma testemunha disse ao jornal The New York Times que ouviu tiros fora de sua sala de aula. Ela disse que uma mulher de meia-idade, em seguida, tentou fechar a porta da sala para impedir que o atirador entrasse no local, mas a esta foi baleada várias vezes no estômago.

O xerife do corpo de bombeiros local, Ray Shoulfer disse que as vítimas foram encontradas em "diversas salas de aula", segundo a CNN.

Já o chefe da polícia disse que o atirador foi neutralizado por dois oficiais que correram para a cena do crime.

Em um discurso nacional, Obama lamentou que massacres como este tenham se tornado rotina nos Estados Unidos.

"Espero e oro para que eu não tenha que sair novamente durante meu mandato como presidente para oferecer minhas condolências às famílias em tais circunstâncias", disse ele. "Mas, com base na minha experiência como presidente, eu não posso garantir isso, e isso é terrível de se dizer".

veja também