Wanderlei Silva retorna ao Brasil para ajudar a abrir igreja: “Voltei por um ideal”

Antes de iniciar a igreja, o atleta já tem incentivado seus companheiros a terem uma vida conduzida pela fé. “Temos um grupo no What'sApp chamado ‘Leitura da Palavra’, e lá estão Aldo, Lyoto, Shogun, Rafael Cordeiro, Werdum, Rafael Dos Anjos”, revelou Silva.

fonte: Guiame, com informações de Sport TV

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2016 as 12:27

Wanderlei Silva é um dos principais atletas da história do MMA. (Foto: Reprodução)
Wanderlei Silva é um dos principais atletas da história do MMA. (Foto: Reprodução)

Wanderlei Silva é um dos principais atletas da história do MMA. No entanto, sua carreira chegou ao fim em 2014, quando anunciou sua aposentadoria por conta das diversas lesões provocadas pelo esporte e por ter perdido a paixão pelo UFC.

Hoje, os planos de Silva são bem diferentes: deixar sua casa nos Estados Unidos, retornar para Curitiba, no sul do Brasil e abrir uma igreja junto com um amigo.

“Muitos dos nossos lutadores têm fé, mas estamos perdendo porque vários estão se desviando. O cara faz duas, três lutas na cidade, já fica conhecido e se desvia. Estamos tentando colocar esse pessoal nos trilhos. Estamos no começo, mas a gente já tem um lugar pequeno e tem o culto lá no domingo”, disse ele em entrevista ao Combate.com.

Antes de iniciar a igreja, o atleta já tem incentivado seus companheiros a terem uma vida conduzida pela fé. “Temos um grupo no What'sApp chamado ‘Leitura da Palavra’, e lá estão Aldo, Lyoto, Shogun, Rafael Cordeiro, Werdum, Rafael Dos Anjos”, revelou Silva.

“Todo poder dado nessa terra é por Deus, não é o que você merece, Ele dá para quem Ele quer. Às vezes Ele dá para uns filhos da ****, mas é natural, né?”, disse ele, afirmando seus frequentes palavrões. “Estou muito feliz de poder fazer o social.”

Após viver mais de dez anos nos Estados Unidos, Wanderlei passa por um atual processo de mudança. “Acabei de chegar e a casa ainda está toda vazia”, disse ele. No entanto, ele afirma que o novo ciclo foi incentivado por um ideal.

“Vi o Brasil nessa situação, e eu com a vida de um cara de 60 anos, morando de frente para a praia e com a academia do lado. A minha vida estava muito sossegada e o país assim, caindo aos pedaços. A gente não pode se omitir”, disse o atleta.

“Eu voltei por um ideal mesmo. Conversei com o meu pastor e voltei para ajudar a trazer membros para a nossa igreja e para viver esse momento político, pois temos que usar a nossa influência para o lado bom, mostrar que temos que lutar pelo nosso ideal. Lutar pelo bem comum, não só pensar no seu umbigo”, afirmou Silva.

veja também