"Estão erotizando as crianças", diz Marisa Lobo sobre ideologia de gênero, na TV Folha

A psicóloga participou de um debate com Renata Peron - transexual e ativista dos direitos dos transexuais - comentando o assunto que levou pastores a se reunirem recentemente com o presidente Michel Temer.

fonte: Guiame

Atualizado: Domingo, 17 Julho de 2016 as 2:50

Na última sexta-feira, a TV Folha convidou para um 'debate', a psicóloga especialista em Direitos Humanos, Marisa Lobo e Renata Peron, transexual e ativista dos direitos dos transexuais. Em pauta, estava a questão da inclusão da ideologia de gênero nas escolas. O encontro de Michel Temer com pastores e a promessa de que o combate à ideologia seria analisado pelo MEC também entrou em discussão. 

Segundo Marisa Lobo, a proposta - que foi barrada recentemente pelos municípios e retirada dos Planos Municipais de Educação - tem um caráter de "discussão das diferenças", porém não deixa de ter um fundo ideológico.

"A ideologia de gênero é um conjunto de ideias, de ideologias que se impoem a todas as outras verdades, sejam elas históricas, científica, biológica, de que o homem não nasce homem e a mulher não nasce mulher, por causa de seu sexo de nascimento. Então nós tratamos essa questão de dizer que 'homem não é homem porque ele tem o sexo masculino e a mulher não é mulher porque ela tem o sexo feminino' como uma ideologia", explicou.

A psicóloga também alertou sobre o possível conflito que gerado psicologicamente nas crianças que recebem este tipo de ensinamento.

"Essa ideologia que diz que o sexo de nascimento não tem importância, é obsoleto, que nós temos que dar importância apenas à construção social e cultural [do indivíduo], isso é um perigo e na minha concepção, como profissional - não como cristã, como religiosa - é um gerador de conflito para a identidade da criança".

Durante o debate, Marisa chegou a citar dados de duas matérias publicadas anteriormente no Portal Guiame, lembrando que o número de atendimentos por casos de disforia de gênero aumentou em 1.000% no Reino Unido e também sobre um alerta da Associação Norte-americana de Pediatria, que classificou a ideologia de gênero como um 'abuso infantil'.


Erotização infantil

Marisa também destacou que o "debate de identidade de gênero também inclui um reorientação sexual já para crianças já a partir dos 4 anos de idade e pode implicar em uma erotização destes alunos do ensino fundamental.

"Quando os apoiadores da ideologia de gênero dizem que não estão falando de sexualidade, isso é uma mentira. Estão falando sim de sexualidade, estão reorientando a sexualidade da criança. Estão erotizando a criança e tanto faz se estão falando de homossexualidade, heterossexualidade ou bissexualidade... Eu não tenho que dizer para uma criança de 4 ou 5 anos que ela tem que casar, fazer sexo com homem ou com mulher", afirmou.

 

veja também