Marco Feliciano quebra o silêncio sobre acusação de assédio: "A justiça virá a tona"

Ao lado de sua esposa, Marco Feliciano comentou a acusação de assédio sexual que está sendo feita contra ele e afirmou que sofre com "boataria" todos os dias.

fonte: Guiame

Atualizado: Sábado, 6 Agosto de 2016 as 4:54

Na tarde deste sábado, o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC - SP) finalmente publicou em sua página oficial, um vídeo no qual comenta as acusações de que ele teria assediado e tentado estuprar uma jovem militante de seu partido, a estudante Patrícia Lélis. Ao lado de sua esposa, ele comentou o caso e afirmou que sofre com "boataria" todos os dias.

Segundo matéria publicada inicialmente pelo blog 'Coluna Esplanada' (UOL), a acusação que recai sobre Marco Feliciano é de que ele teria usado o apartamento funcional dele, na quadra 302 Norte na capital federal para abusar da estudante.

Após a notícia ter sido amplamente divulgada por outros sites, três vídeos chegaram a ser publicados por Patrícia, nos quais ela afirma que Feliciano não tentou nada contra ela e que ele "sempre teria sido muito gentil".

"Várias pessoas vieram me procurar devido a isso. Ele [Hugo Studart] faz uma acusação horrorosa contra o pastor Marco Feliciano. Eu queria deixar aqui registrado que o pastor Marco Feliciano é uma pessoa muito bacana, nunca tive o menor problema com ele, muito pelo contrário, é um homem muito abençoado", disse a estudante Patricia Lélis em um dos vídeos.

"Isso que o professor e jornalista e professor Hugo Studart postou é uma mentira. Ele devia tomar cuidado, porque está envolvendo o nome de outras pessoas. Ele não tem provas de nada. Por favor, não propaguem mentiras".


Declarações de Feliciano
No vídeo que divulgou esta tarde em sua página oficial do Facebook, Feliciano explicou que não "havia se pronunciado anteriormente, porque era apenas um blog divulgando a notícia", mas agora teve que tomar providências, após o registro de um boletim de ocorrência.

"Depois que eu tive acesso ao boletim de ocorrência, eu quero dizer para vocês que eu tenho plena confiança na justiça divina e na justiça dos homens. A justiça dos homens, inúmeras vezes já me inocentou, mesmo depois de eu ter sido escrachado publicamente. Pena que quando vão acusar, dão total apoio em páginas dos jornais e depois, quando a pessoa é inocentada, não dizem mais nada", afirmou.

"Já me coloquei à disposição da justiça para colaborar com provas que irão provar a minha inocência nesse caso. Embora eu esteja com o coração quebrado, embora eu esteja machucado, com a minha família toda sofrendo, eu não vou julgar essa moça. Eu a perdoo".

O deputado evangélica também explica que seu assessor não chegou a ser preso, mas sim foi convidado a prestar depoimento à polícia.


Conversas no Whatsapp
O caso acabou ficando ainda mais complexo, quando reproduções mensagens supostamente trocadas entre Patrícia e Feliciano foram publicadas por diversos sites.

Em uma desses conversas, há a impressão de que o pastor de fato teria tido algum de conversa mais 'íntima' com a moça pelo aplicativo de mensagens 'Whatsapp'.

Print de suposta conversa entre Patrícia Lélis e o pastor Marco Feliciano. (Imagem: Coluna Esplanada)

Uma gravação de uma suposta conversa entre a estudante e um assessor de Feliciano também está sendo citado pelos jornais de que o deputado teria tentado algo contra a moça. Na conversa, o assessor tentaria convencer Patrícia a não denunciar o parlamentar.

Mas segundo reproduções de conversas liberadas pelo próprio pastor ao site Gospel Prime, a moça teria lhe enviado imagens de 'momentos ítinmos', tentando encaminhar suas conversas com o parlamentar para outro nível mais próximo.

Print de supostas onversas entre Pastor Marco Feliciano e Patrícia Lélis. (Imagem: Gospel Prime)

veja também