"Não podemos aceitar que o governo nos impeça de falar de Deus", diz Cristina Mel

"Não podemos aceitar que o governo nos impeça de falar de Deus. [...] Precisamos alertar: 'Não é esse o caminho! O caminho é Jesus", afirmou Cristina Mel, em entrevista exclusiva ao Portal Guiame.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 15 Julho de 2016 as 1:40

"A Igreja precisa se levantar". O alerta de Cristina Mel foi reforçado durante a última edição da Expoevangélica, em Fortaleza (CE). Em um entrevista exclusiva ao Portal Guiame, a cantora que também formou-se como educadora, falou sobre as novidades de sua carreira e também fez novamente um alerta sobre os caminhos que a sociedade e a política têm tomado, levando a fortes distorções de valores e fugindo ao propósito para o qual Deus criou a humanidade.

A cantora tem aproveitado as oportunidades - em palestras e até mesmo em seus discos - para alertar pais e filhos sobre assuntos graves, como pedofilia, o perigo das mídias sociais e até mesmo a ideologia de gênero.

"Deus tem nos levantado para falar aos pais. A preocupação que há de você ter uma conversa franca com os seus filhos, o perigo das redes sociais... Eu estava conversando com um investigador que estuda toda essa parte de hackers para o governo brasileiro e ele me revelou que existem hackers que conseguem entrar até na câmera do celular das pessoas e filmar o que elas estão fazendo. Você acha que está tendo total privacidade em sua casa e não está", destacou.

"Essa geração que é tão preciosa aos olhos do Senhor está sem rumo, sem limites, sem perspectiva de um futuro melhor. Estão acomodados, doentes e o que nós vamos fazer? Não podemos perdê-los. A Igreja precisa se levantar".

Cristina citou também a limitação do direito de liberdade religiosa que tem se revelado, saindo do cenário político para influenciar no âmbito social, com projetos de leis tendenciosos e inconstitucionais.

"Não podemos aceitar que o governo diga que não se pode falar de Deus, mas se pode ensinar nas escolas a cultura afro, que tem todos os deuses africanos e todos os demônios. É muito complicado tudo o que está acontecendo. Precisamos tomar uma posição. Precisamos alertar: 'Não é esse o caminho! O caminho é Jesus", afirmou.

Cristina Mel é conhecida por seu ministério de grande projeção com crianças e também com músicas de adoração para o público jovem e adulto. (Foto: Levi Facó / Guiame)


Ideologia de Gênero

Na entrevista, a cantora também destacou que a ideologia de gênero pode realmente gerar cidadãos facilmente manipuláveis e classificou a proposta como uma "artimanha do inferno".

"É comprovado que quando a pessoa não sabe se é menino ou menina, se não tem o seu gênero definido, é facilmente manipulada. É uma pessoa que não tem personalidade, não tem identidade. É uma artimanha do inferno para destruir o caráter que Deus tem sonhado para cada criança e cada jovem. Quem luta a favor disso, achando que vai ter alguma vantagem, está sendo redondamente enganado", alertou.

"Se não é menino, não é menina e também não é gay, é o quê? Não é nada? Não existe sexo? A pessoa 'é tão inteligente que está acima que está acima da sexualidade'. Mas Deus criou homem e mulher. Ou então não acredita mais em Deus, arranca um pedaço da Bíblia, joga fora, esquece? Não é isso que Deus quer para nós".

A afirmação de Cristina Mel sobre a ideologia de gênero é apoiada pelo alerta feito anteriormente pelo procurador Dr. Guilherme Schelb, afirmando que a proposta vem de uma ideologia marxista para gerar cidadãos vulneráveis psicologicamente. 

Na Europa, os efeitos dessa ideologia já podem ser sentidos gravemente, considerando o aumento em cerca de 1.000% de crianças atendidas pelo Serviço de Transtorno de Identidade de Gênero, prestado pelo Serviço Nacional de Saúde no Reino Unido, entre abril e dezembro do ano passado.

 

 

veja também