"Os psicólogos evangélicos não são curandeiros", diz pastor e ex-gay Joide Miranda

Em vídeo publicado no Youtube, Joide falou contra o conceito da "cura gay", afirmando que psicólogos cristãos não são promotores de nenhum tipo de "curandeirismo".

Fonte: GuiameAtualizado: sexta-feira, 27 de junho de 2014 18:05
"Os psicólogos evangélicos não são curandeiros", diz pastor e ex-gay Joide Miranda
"Os psicólogos evangélicos não são curandeiros", diz pastor e ex-gay Joide Miranda

Conhecido por seu testemunho impactante, o pastor e ex-travesti, Joide Miranda gravou recentemente um vídeo com o seu depoimento a respeito da decisão do Conselho Federal de Psicologia, que considerou antiético o atendimento a pacientes homossexuais que queiram deixar seguir tal orientação sexual.

O pastor contou rapidamente parte de seu testemunho, afirmando que homossexualidade é uma conduta e depende da escolha da pessoa.

"A homossexualidade é uma conduta aprendida e pode ser também 'desaprendida'. Eu vivenciei a homossexualidade durante 22 anos da minha vida. Hoje, liberto e restaurado pelo poder do evangelho, estou há 16 anos casado e muito bem casado, Deus só não restaurou a minha identidade sexual, mas também restaurou o meu caráter, que estava totalmente deformado. [...] Eu decidi mudar! É um direito meu! Eu quis mudar de vida", disse.

O pastor também diferenciou os papeis da Igreja e da Psicologia neste processo de transformação e afirmou que ambos são de grande importância. Joide ainda falou contra o conceito da "cura gay", afirmando que psicólogos cristãos não são promotores de nenhum tipo de "curandeirismo".

"Os psicólogos evangélicos não são curandeiros. São servos e servas de Deus. Marisa Lobo, eu estou com você! Eu te apoio! Continua nessa luta, minha irmã! Você não está sozinha! Nós estamos juntos!", finalizou.

A esposa de Joide Miranda também gravou um vídeo no qual protesta contra a atitude do Conselho de Psicologia.

Clique nos vídeos abaixo para conferir os depoimentos do Pr. Joide Miranda e sua esposa, Miss. Edna Miranda:

Contextualização
Erroneamente chamada de "Cura Gay" a proposta de lei defendida por políticos cristãos, como Marco Feliciano - de que psicólogos teriam o direito de ajudar homossexuais que manifestassem o desejo de abandonar tal conduta - se tornou polêmica e ganhou grandes proporções em 2013.

Após a "poeira ter baixado", a cassação do registro profissional da psicóloga Marisa Lobo trouxe o assunto novamente à tona.

Por mais que Marisa tenha ressaltado por diversas vezes que não há acusações relacionadas com a "cura gay" no processo que levou à sua cassação, o seu nome tem sido frequentemente relacionado ao assunto, pelo fato da profissional defender que homossexuais têm direito de mudar sua orientação sexual, caso manifestam tal desejo e psicólogos também têm o direito de ajudar tais pacientes.

A situação tem estimulado "ex-gays" (como assim têm sido chamados) a publicarem seus testemunhos nas redes sociais, não somente para combater acusações não-oficiais feitas à psicóloga, mas também para mostrar a homossexualidade está ligada de fato a uma opção do ser humano. Exemplo destes acontecimentos é o pastor Arlei Lopes, que além de ter publicado parte de seu testemunho nas redes sociais, falou com exclusividade ao Guiame sobre o assunto nesta entrevista.

Por João Neto - www.guiame.com.br 

 

Siga-nos

Mais do Guiame