10 dicas para bateristas tocarem mais tranquilamente nas igrejas

Bateria na igreja: Isto precisa mesmo ser desagradável? Confira estas dicas de JP Starra (baterista do Hillsong) para evitar que este instrumento seja um motivo de transtorno nas igrejas.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 22 Julho de 2014 as 11:03

10 dicas para bateristas tocarem mais tranquilamente nas igrejasQuantas vezes já ouvimos estas frases dentro das igrejas: "Bateria só faz barulho!" ou "Baterista não é músico!". Mas a verdade é que este instrumento (abominado por muitos), quando bem utilizado, tem muito a contribuir com a dinâmica do grupo de louvor e o andamento de todas as músicas.

Baterista e supervisor de muitos dos processos criativos da equipe do Hillsong, JP Starra compartilhou recentemente no site oficial do Ministério, algumas de suas experiências no uso do equipamento.

Passando por uma variedade de locais em todas as igrejas da Hillsong Church, exigimos que nossos bateristas sejam excelente na arte de tocar tranquilamente, mas também poderosamente.

Aqui estão as 10 dicas de JP para tocar bateria na igreja, sem que isto se torne um barulho desagradável!

1. Use baquetas menores, mas não pequenas demais.

Você pode compensar se as baquetas são muito pequenas e não têm peso suficiente. Se você toca normalmente com o tamanho 5B, tente usar o tamanho 5A, quando você estiver preocupado com volume.

2. Use mais pratos escuros ao invés dos brilhantes.

Pratos brilhantes como os "A Custom" (personalizados) irão se sobressair na mistura, mas um chimbal mais escuro como um passeio "K Light Ride" tende a ser mais dissoluto e menos invasivo. Compare os diferentes pratos e veja o que funciona para você!

3. Cuide da sua técnica, no uso das baquetas no chimbal.

Bater com a ponta da baqueta produz uma grande quantidade de ataque, então tente bater no prato usando as partes mais centrais da baqueta nestes pratos, para atingi-los suavemente, em vez de um monte de marcações em cada curso.

4. Sinta e ouça o ambiente.

Se você usa fones como forma de retorno, certifique-se que você tem uma noção mais completa do ambiente em seu "mix". Isto ajuda a medir o som da sala. Se o som sai dos alto-falantes e não se propaga, você sabe que é um ambiente "seco" (sem muita reverberação) e pode ser necessário preencher o espaço um pouco mais. Se os tambores ecoam e permanecer por alguns segundos, você sabe que é uma sala de boa acústica e vai precisar deixar mais espaço no seu modo de tocar, caso contrário, a sua música vai soar "lamacenta" (carregada).

5. Mantenha os cotovelos mais para dentro

Isto vai forçá-lo a usar mais os seus pulsos um pouco menos e os seus braços.

6. Não confie 100% em seus monitores/fones de ouvido.

Se você usa o sistema de monitoramento por fones de ouvido, mesmo que apenas para o seu metrônomo, às vezes pode ajudar, se você deixar um dos ouvidos sem o fone. Assim você pode ter mais noção de como o seu equipamento está soando no ambiente. Fones de ouvido com cancelamento de ruído também podem ser enganosos; se você não tiver certeza sobre o volume, deixe um dos fones de ouvido para fora um pouco e avalie o seu volume com mais clareza.

7. Levante sua configuração

Especialmente a altura do suporte da sua caixa. Você vai tocar mais tranqüilamente se não precisa se curvar tanto para manter as sequências.

8. Livrar-se da tela do tambor.

Eu sei que isto é um pouco controverso e pode não funcionar para todos os contextos e as equipes. Mas o escudo do tambor lhe dá a ilusão de que você pode tocar com toda a forçca, sem consequências. Removendo as forças de telam, você pode avaliar o volume, sem uma "rede de segurança". Ele também lhe dá a vantagem de ser mais conectado com o resto da equipe e congregação, o que lhe permite adaptar-se e lidar mais eficazmente.

9. Preste atenção nos membros da congregação que estão mais próximos dos tambores.

Se eles estão fazendo uma careta ou cobrindo os ouvidos, isto é uma boa indicação de que você pode se "dar ao luxo" de relaxar um pouco e pegar mais leve.

10. Peça feedback.

A maneira mais rápida de descobrir se você está indo bem ou não, é pedir a opinião de alguém. O seu vizinho, o seu líder de louvor, um companheiro baterista, ou mesmo qualquer pessoa na congregação. Eles alegremente vão te dizer como o seu instrumento está soando. Em seguida, verifique se você realmente está considerando este feedback!

Estas são algumas das coisas que me ajudaram a tocar mais tranquilamente, em muitos contextos diferentes.

Por JP Starra - Baterista / Hillsong

Com informações do Hillsong.com

*Traduzido por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também