10 distrações comuns ao momento de louvor, no culto

Falta de preparo dos músicos e pouca variedade com relação aos estilos musicais podem prejudicar a comunicação entre o grupo de louvor e a congregação.

fonte: Guiame, Thom Rainer

Atualizado: Terça-feira, 20 Janeiro de 2015 as 3:32

Algumas semanas atrás, eu postei o texto "Conclusões sobre distrações comuns em um culto". Desde então, alguns leitores me questionaram, mais especificamente sobre as nossas conclusões relativas à componente musical de adoração. Assim, o objetivo deste post é para responder a esse pedido.

Deixe-me ser honesto sobre as minhas qualificações à frente, ainda que: eu não seja um músico ou cantor; Eu sou um consultor da igreja, apenas relatando o que as nossas equipes têm encontrado em mais de 15 anos de consultoria. Não é minha intenção julgar ou ofender. Eu tenho o maior respeito por aqueles que nos conduzem nos louvores. Com essas advertências em mente, aqui estão dez distrações que encontramos na música como elemento de adoração.

1. Palavras incompreensíveis no refrão das canões - Eu começo com essa distração (a repetição do post anterior), simplesmente porque nós enfrentamos este problema com muita frequência. O sistema de som pode ser pobre, os cantores podem não enunciar bem, ou o instrumental pode abafar as letras - mas em qualquer caso, perdemos a mensagem enquanto nos esforçamos para entender as palavras.

2. Rostos sisudos conduzindo a adoração - Alguns hinos solenes podem não necessitar de sorrisos, mas algo está faltando quando se canta sobre a alegria do Senhor e a expressão facial do cantor sugere algo diferente disse. Vimos equipes de louvor inteiras mostrando pouca expressão enquanto eles conduzem o momento de louvor.

3. Músicos ou cantores pobres em talento - Hesito em incluir esta distração, porque eu percebo que o nível de talento varia conforme a congregação. Também não quero sugerir que apenas os músicos ou cantores mais talentosos devam ser autorizados a conduzir a adoração. Eu estou simplesmente dizendo aquilo que vivemos: às vezes, o componente musical de adoração carece de qualidade.

4. Cantores despreparados - Aqui, o nível de talento não é o problema e sim, falta de preparo. Às vezes parece - certo ou errado - como se ninguém tivesse praticado este componente do culto de adoração. Na verdade, nós ocasionalmente ouvimos alguns cantores declarando publicamente: "Por favor, orem por mim antes de eu cantar hoje, porque eu realmente não tenho tempo para me preparar".

5. Ministros de música "enfadonhos" - Algumas pessoas conduzem o louvor fazendo um grande trabalho de forma sucinta e eficaz, falando entre as músicas. Outros, porém, parecem usar interlúdios para pregar um sermão, em preparação para o outro sermão, que ainda está por vir. Muita conversa pode realmente atrapalhar o culto (mais do que facilitar).

6. Canções desligadas do tema sermão - Parece estranho, por exemplo, quando a série de sermões é sobre a família, mas nenhuma das seleções de músicas se move nessa direção. Por outro lado, a adoração é muitas vezes facilitada - e os ensinamentos de conteúdo desse culto são mais fáceis de lembrar - quando as seleções musicais e o foco do conteúdo do sermão caminham em uma única direção.

7. Músicas difíceis de cantar - Mais uma vez, eu não sou um cantor, mas eu sei quando eu estou enfrentando dificuldades para cantar uma música em particular. Alguns de nossos membros da equipe de consultoria mais talentosos são cantores, e eles às vezes questionam as seleções de repertórios com canções cheias solos e "firulas". O que funciona para o cantor talentoso nem sempre funciona para a pessoa que não é tão boa assim cantando, no banco da igreja.

8. Problemas com a utilização dos meios de comunicação para letras - Esta distração é um corolário da anterior. Letras na tela [projeção] são mais frequentemente úteis. Se, porém, as pausas nas frases e expressão na tela não correspondem às pausas no canto, o adorador ainda pode ter dificuldades em saber cantar a música. Quando bem colocada, a letra na tela geralmente ajuda os participantes do culto a aprenderem a melodia.

9. Falta de variedade de estilos musicais - Curiosamente, estamos vendo mais igrejas adotando um único estilo de musical para o louvor, em vez de oferecer vários estilos distintos. Essa abordagem não é ruim, mas torna-se problemática quando os líderes de louvor são fortes em um estilo, mas fracos em outro outra. Muitas vezes, esse diferença é perceptível.

10. Introduzir novas canções no repertório sem ensina-las - Muitos bons compositores estão produzindo fortes músicas de adoração atualmente. Apresentar novas músicas para uma igreja, no entanto, requer uma atitude, que muitas vezes parece faltar. Muitos de nós aceitamos bem um líder de louvor que dedique um tempo para nos ajudar a aprender realmente a canção como uma congregação.

Dr. Thom Rainer é presidente e CEO da LifeWay Christian Resources, da Convenção Batista do Sul.

veja também