"Ainda não existe tanto espaço para o gospel em geral", diz Anderson Freire

Além de sua voz inconfundível, suas composições estão na voz de inúmeros cantores como Aline Barros, Fernanda Brum, Bruna Karla, Jozyanne, William Nascimento e outros.

fonte: Guiame, com informações do portal UOL

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2016 as 11:04

Anderson é ex-vocalista do grupo Giom, formado com seus três irmãos. (Foto: Divulgação).
Anderson é ex-vocalista do grupo Giom, formado com seus três irmãos. (Foto: Divulgação).

O cantor Anderson Freire surpreendeu o apresentador Silvio Santos ao aparecer nas nomeações da última edição do "Troféu Imprensa". A cerimônia foi exibida no último domingo (22), onde o artista cristão foi indicado pelo público ao prêmio de cantor do ano ao lado de Luan Santana e Lucas Lucco. "Esse eu não conheço", exclamou o comunicador.

Freire de 35 anos tem se destacado como um dos fenômenos da música gospel no Brasil. Além de sua voz inconfundível, suas composições estão na voz de inúmeros cantores como Aline Barros, Fernanda Brum, Bruna Karla, Jozyanne e outros. Seus quatro primeiros discos solo acumulam nada menos do que 12 certificados de ouro platina, ouro e diamante, além de três nomeações ao Grammy Latino.

Direitos Autorais

Em 2015 ele foi considerado o compositor cristão brasileiro que mais lucrou com direitos autorais via execuções em rádios. Em uma matéria do portal Uol, o cantor foi comparado como “uma espécie de cruzamento entre Sorocaba e Wesley Safadão”.

"Sinceramente, fiquei feliz e surpreso com a indicação. Acho que ainda não existe tanto espaço para o gospel em geral. O que é uma pena, porque essa é uma música de extrema qualidade", disse o cantor em entrevista para o site.

"Mas só de estar no 'Troféu Imprensa' já é uma oportunidade de chegarmos a um cenário mais respeitado, que tem uma parte técnica mais apurada, digamos assim. Ainda falta um pouco para conseguirmos isso. Mas tenho certeza que esse momento está chegando", ressaltou.

Anderson é ex-vocalista do grupo Giom, formado com seus três irmãos. Há oito anos ele foi descoberto pela cantora pentecostal Cassiane que o indicou para a gravadora MK Music. Em 2011 lançou seu disco solo, intitulado Identidade com todas as letras escrita por ele e as melodias vinham recheadas de influências do pop, sertanejo, e, principalmente, da back music.

"Uma parte da nossa família veio do interior. Quando aprendi a cantar, a gente era cantor de sertanejo. Só que lá na roça meu avô era fã de Michael Jackson. Meu irmão começava a dançar aqueles breaks e cantar aquelas coisas maneiras, e eu ia na onda", comentou.

 

veja também