Daniela Araújo refuta estrelismo gospel: “Não somos nada além de mensageiros da palavra de Deus”

Em entrevista ao Guiame, Daniela Araújo ressalta que a vida que leva na música não é feita de estrelismo, mas sim, de muito trabalho.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Segunda-feira, 11 Julho de 2016 as 4:55

O álbum “Criador do Mundo” e a nova jornada na Som Livre tem proporcionado uma fase “extremamente feliz” para Daniela Araújo, segundo ela mesma definiu em entrevista ao Guiame, durante a Expoevangélica 2016.

“Estar hoje em uma das maiores gravadoras do Brasil foi uma confirmação de Deus, e foi no momento certo”, disse ela, que começou sua carreira na música quando criança em 1985, com a “Turma do Barulho”.

No entanto, a cantora ressalta que a vida que leva na música não é feita de estrelismo, mas sim, de muito trabalho. “Não é fácil viver uma vida que não tem estrelismo, mas tem muita mão de obra. Quando eu entrei para o mundo gospel eu tinha muito medo, porque eu não gosto da imagem do gospel, do cantor que é estrela, e tudo mais. Só que isso não é culpa nossa”, conta Daniela.

“Muitas vezes, as pessoas mistificam quem está ali na frente. Hoje, com toda a estrutura que eu tenho, eu vou cada vez mais me dedicar a dar o meu melhor e fazer as pessoas entenderem que nós não somos nada além de mensageiros da palavra de Deus. Aqui não tem estrela, aqui não tem ídolos, tampouco pessoas melhores do que aqueles que nos ouvem”, acrescenta a cantora.

Segundo Daniela, seu foco é o de simplesmente levar a verdade do Evangelho. “Nunca esperei toda essa repercussão, até porque a gente começou sem saber o que ia acontecer, mas Deus é um Deus que surpreende a gente, e as pessoas estão sedentas por verdade. Elas estão sedentas por pessoas que falem não aquilo que elas querem ouvir, mas o que elas acreditam, que é a palavra de Deus.”

A cantora finaliza, pedindo a intercessão daqueles que acompanham seu ministério. “Orem por mim, para eu não perder o foco e para eu sempre estar sensível à voz do Espírito Santo, porque é muito fácil a gente se perder. Somos seres humanos, afinal.”

veja também