"Eu não consigo ver Jesus nesse tipo de show", diz Rodolfo sobre música gospel

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 10 Junho de 2014 as 10:34

"Eu não consigo ver Jesus nesse tipo de show", diz Rodolfo sobre música gospel
"Eu não consigo ver Jesus nesse tipo de show", diz Rodolfo sobre música gospel

Na última segunda-feira, 09/06, a Revista TRIP publicou uma reportagem com o cantor, compositor e missionário, Rodolfo Abrantes. Se livrando do título de artista que carregou até 2001 (ano em que deixou a então renomada banda de rock nacional, Raimundos), o músico conversou com a equipe da revista em um dos eventos no qual se apresentou, na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Falando sobre sua participação no evento, Rodolfo esclareceu que aquele não é examente o seu "show", mas sim um culto que conta com a participação de sua banda.

“A gente vai fazer uma parte da adoração, é uma parte do culto. A carta não é a minha, eu sou o carteiro”, disse.

Durante a conversa, o músico que recusou seguir a mesma carreira dos parentes mais velhos (medicina) teve a oportunidade de testemunhar o seu passado de "rockstar", os malefícios que as drogas lhe trouxeram e também a transformação em Cristo Jesus.

Anteriormente fã de grandes bandas do rock nacional, Rodolfo entrou neste circuito ao lado dos Raimundos. Casas de shows lotadas, incontáveis CDs vendidos e drogas faziam parte de sua realidade.

Apesar do sucesso, as drogas começaram tornar-se um sério problema para Rodolfo.

“Eu fumava um e já estava pensando no próximo, cheguei a cheirar e tomava ácido pra caramba. Minha saúde destruída, perdendo peso, cheio de caroço espalhado pelo corpo: eu me sentia morrendo”, destacou.

Incentivado por sua esposa (namorada, na época), Rodolfo recebeu a visita de evangelistas em sua casa.

“Nosso relacionamento estava indo por água abaixo”, confessou o músico que viu nas drogas, o perigo de ter não somente sua carreira destruída, mas também a sua vida amorosa.

Conversão
Arrependimento. Este é o termo que define o sentimento de Rodolfo em relação ao seu passado de rockstar - não exatamente pelo ritmo, mas pela sua conduta e pelas letras que compunha.

“Eu tenho 100% de arrependimento", disse.

. As dezenas de composições feitas durante esse tempo garantem parte de seu orçamento por meio dos direitos autorais, mas ele não toca mais nenhuma dessas músicas. Atualmente, a maior parte das suas contas é paga pelos seus álbuns de cunho evangélico, assinados com a sigla RABT, e pelas apresentações que faz pelo país. Nesse caso, o pagamento vem como oferta - uma das formas de remuneração instituídas na Bíblia, segundo ele.

“Eu saio da minha casa e posso não receber nada”, afirmou.

Mercado Gospel
Conhecido por suas duras críticas ao mercado gospel, Rodolfo destacou as intenções de muitos artistas deste segmento e também do público que os acompanham acabaram perdendo o seu foco.

“Eu não consigo ver Jesus nesse tipo de show, porque o povo está aplaudindo o cara que está tocando, e a adoração não serve pra ninguém me aplaudir”, destacou.

Atualmente, Rodolfo paga grande parte de suas contas com a venda de seus CDs, assinados pelo selo RABT. Quando se apresenta em algum evento, o músico não cobra cachê, contando apenas a oferta que a igreja / organizadores do evento lhe dão.

Confira no vídeo abaixo, o DVD "Onda Dura", na íntegra:

Com informações da Trip.uol.com.br

veja também