Fusão de horizontes

Fusão de horizontes

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 14 Abril de 2014 as 3:03

Fusão de horizontesMeu irmão e eu sempre tivemos o costume de ler tudo que vocês nos enviam. Emails, mensagens, tweets. Ultimamente tem sido mais difícil, mas fazemos o nosso melhor.

Um elemento recorrente nas mensagens, e que temos prazer em ler, é quando alguém descreve a situação de estar indo para algum lugar ouvindo nossas músicas, e refletindo sobre a vida.

Quando descrevem o momento em que a música e o ouvinte se tornam um. Uma "fusão de horizontes", como gadamer diria.

Quando de repente, enfrentar uma situação desagradável se torna "olhar nos olhos da tristeza e sorrir."

Quando de repente, valorizar o que de fato tem valor na vida se torna "ter aquilo que preciso e nem um pouco mais."

Quando de repente, ter paz em meio a solidão se torna "não ser mais estranho, ser um filho, ser Teu."

Quando de repente, esperar no Eterno em momentos de adversidade ser torna "ver da janela cada estação fugir."

Quando de repente, o desejo de fazer grandes coisas pelo Reino e o Rei se torna querer "morrer na batalha ao lutar pelo Reino até o fim."

Quando de repente, passar por momentos de turbulência na esperança de que dias melhores virão se torna "se a chuva me alcançar, e o barco revirar, que eu acorde em terra firme... lá."

Quando de repente, a realização de que a única orientação frutífera na vida é morrer diariamente nEle se torna "que meu nome morra com meu corpo e que o de Cristo permaneça em tudo."

Música e ouvinte se tornam um. O horizonte da música, e o horizonte do ouvinte... se encontram.

Uma das mais belas realizações que tive na minha vida foi descobrir que quando tiramos tempo para ler a Palavra a mesma união de horizontes ocorre. Me encontro nos personagens da Bíblia, em suas lutas, suas vitórias, suas derrotas, suas alegrias, e suas esperanças... me encontro como objeto da Palavra do Senhor que de Gênesis até Apocalipse aparece para criar nova vida, restaurar, salvar. a Palavra que tira existência de barro, e que reanima ossos secos.

O propósito de nossas músicas, é o mesmo da Palavra: fazer com que do outro lado da união de horizontes, possamos sair com nossos pensamentos, nossa visão, nossa vida calibrada pela revelação de Deus.

Pois no final do dia, os pensamentos Dele são maiores que os nossos (Isaías 55.8)... e são pensamentos de paz, e não de mal, para nos dar um futuro e uma esperança (Jeremias 29.11).

A nossa música é uma parcela, um eco, uma gota... do oceano que é a Palavra de Deus

Por Tiago Arrais - Facebook.com/OsArrais 

veja também